Arquivo mensal: julho 2014

El bon vivant in Punta Del Este!

Neste final de ano a família Alonso passará as festividades de Natal e Ano Novo em Punta Del Este.  Sim senhoras e senhores, o belo balneário uruguaio terá mais uma vez a honra de recepcionar essa nobre família e minha prole de quatro filhos com quatro mulheres diferentes como bem manda o figurino do islã.  

Desta vez resolvi deixar de lado as badaladas casas de praia e bangalôs do golf club para me instalar numa fazenda marítima. Nos arredores rurais de Punta del Este, tanto na zona de La Barra, Manantiales e José Ignacio como em Punta Ballena y Portezuelo, se instalam belas fazendas marítimas que aproveitam a tranquilidade do campo e a proximidade do mar para oferecer uma das opções de aluguel mais sofisticadas da cidade nessa época do ano.

Os alugueis nas fazendas marítimas são uma recomendável opção para os que desejam  férias de pleno descanso, longe do barulho da Península mas com rápido acesso a todos seus atrativos. Pela grande capacidade de hospedagem, também resulta a opção ideal para grupos familiares numerosos, podendo abranger a mais de uma família ao mesmo tempo.

Há fazendas de diversos tamanhos  – geralmente entre um e dez hectares, embora há maiores – com amplas áreas verdes para desfrutar ao ar livre. As residências têm um estilo rústico, com todas as facilidades para uma estadia confortável tanto no verão como no inverno. wi fi, piscina, lareira e churrasqueira são alguns dos itens que não faltam nas fazendas marítimas. Alguns alugueis incluem o serviço de limpeza e manutenção na tarifa.

Os preços variam dependendo a qualidade da construção e a extensão do prédio. Janeiro é o mês mais caro, seguido de dezembro e fevereiro; enquanto que durante a temporada baixa se podem concertar tarifas mais em conta. Os preços rondam os 6 mil ou 7 mil dólares a quinzena casas de cinco ou seis quartos com piscina.

Sem dúvida é uma opção sofisticada e para quem pode pagar, mas se você não trabalha o ano inteiro como eu e vai passar o final de ano na casa da sogra aturando gente chata da família; a culpa é toda sua e não minha. Assim sendo, me poupe da sua inveja barata caro leitor pobre e falido.

Anúncios

O ogro de Wall Street

Triunfar na vida e nos negócios exige sacrifícios. Isso não é novidade. Afinal de contas: “Todo o sacrifício é recompensado pelo mérito”. E aqui está a nossa primeira lição para obter sucesso real tanto na carreira como na vida pessoal.

James Allen dizia que: “Um homem é literalmente aquilo que ele pensa”. Isso é verdade. Se você pensa como vencedor irá vencer, se passa a sua vida pensando como um fracassado irá agir como um fracassado e se tornar um fracassado. Essas coisas são tão óbvias, mas muitas pessoas preferem ignorar isso e pagam caro por isso. Se você acorda de manhã e está frio, chovendo e nublado e sua atitude é pensar: “Que dia horroroso!” Pode ter certeza que o seu dia irá ser horrível mesmo. Se acorda e ao olhar pela janela e o dia estiver da mesma forma e pensar que o dia será bom, mesmo com o frio, chuva e ventos, o seu dia irá ser bem sucedido. Quando se planta mediocridade se colhe mediocridade. Quando se planta infelicidade se colhe infelicidade. Então aprender a semear coisas boas faz parte do processo desde o minuto que acorda até a hora de dormir.

Ninguém consegue nada neste mundo se ficar esperando alguém aparecer para lhe dar uma oportunidade ou aquilo que você sonha de mão beijada. Pessoas passivas não realizam seus sonhos e objetivos. O máximo que conseguem é viver de ilusões. Os sonhos são a matéria prima do sucesso desde que aliados com a determinação e sacrifício para realizá-los. Lincoln dizia o seguinte: “Tenha sempre em mente que a sua própria determinação para vencer é  mais importante do que qualquer outra coisa”. A escolha é sua partir disso…

Sem ambição nada muda, tudo fica sempre do mesmo jeito. Se você acorda de manhã e quer continuar dormindo isso já é sinal de que não tem nenhuma ambição. Pessoas com preguiça não sabem o que é ter ambição. Elas preferem ficar no seu canto e esperar algo acontecer ao contrário daquelas que tem ambição e querem fazer algo acontecer. Viver é melhor que sobreviver essa é a síntese disso.

Muitas pessoas também não dão certo por serem egoístas ao extremo. Elas passam a vida se achando os donos da verdade absoluta e sem saber doar-se para nada ou para ninguém. Não conseguem obter o respeito de ninguém e se tornam pessoas chatas e sem graça que passam suas vidas inteiras vivendo de reclamações. O egoísmo é tanto que elas não enxergam os próprios defeitos para corrigir algo de errado em si mesmos, pois se julgam sábias demais para fazerem isso. A maior demonstração de poder sobre si mesmo, de autodomínio, é quando somos capazes de transformar uma falha numa qualidade. Ayrton Senna era um péssimo piloto na chuva, ele sabia disso, e quis resolver isso, e resolveu. Quando chovia ele treinava, quando chovia mais forte ele treinava mais ainda. Quando ele se tornou o rei da chuva nas pistas ele superou a sua falha e a transformou em qualidade. Somente vencedores dispõem dessa força de caráter e personalidade para fazer isso acontecer.

Pessoas briguentas e que criam atritos não dão certo também. Quando se descobre que é melhor fazer um acordo e ceder para se ter ao menos algo próximo do que se deseja isso é na maioria das vezes melhor que colocar tudo a perder. Saber fazer acordos e conciliações gera respeito e respeito é maior demonstração de poder no meio profissional e familiar também.

Outra qualidade importante é saber manter em segredo seus planos, em especial manter suas cartas na manga escondidas da vista dos outros. Todos aqueles que dão certo na vida fazem mais através de seus atos do que através de suas palavras. Geralmente quem fala demais e revela seus planos nunca faz seus objetivos darem certo, pois sempre que revelam seus planos estão dando aos outros um idéia nova do que fazer. Saber a medida entre revelar o que pensa e agir é uma tarefa dura e muita gente falha nisso. Fica cercados por todos os lados por pessoas intrometidas que ao invés de te apoiarem e colaborarem te impedem de realizar muita coisa. Muita coisa mesmo.

 

Manter ao nosso lado pessoas que sejam nossas parceiras e amigas é outra tarefa complexa que exige uma capacidade de relacionamento que vai além de admirar essa ou aquela pessoa. Admirar não é gostar das pessoas. Posso admirar alguém que eu não goste até mesmo. Admirar é ver nas pessoas qualidades que nós queremos também possuir e se possível aprender com essas pessoas a como ter tais qualidades. Por isso muitas vezes nossos sentimentos atrapalham nossa vida no trabalho e negócios. Ora uns odeiam seu chefe, mas lá no fundo sabem que ele é competente e deixam de aprender com ele, pois o ódio cega as pessoas e só as fazem ver defeitos nos outros. O ditado “amigos, amigos, negócios a parte vale também para essas horas. Não devemos afetar nossos planos e negócios com sentimentos.

 

Meu pai sempre me dizia que: “homem de verdade tem nome e sobrenome”. Isto parece sem sentido, mas no fundo há duas coisas aqui muito importantes. Se você não é respeitado dentro da sua casa e nem mesmo nos negócios, conforme-se você é um fracassado. As pessoas reconhecem as outras por aquilo que elas fazem de bom e ruim. Se você já ouviu falar  num tal de Luiz Felipe Scolari vai saber muito bem que isso é verdade. Vão saber dizer como ele age, reconhecer os melhores valores dele, bem como seus defeitos. Vão saber como ele agiu e o que fez de certo e errado. Irão saber onde, quando e como ele acertou e venceu e onde, como e quando ele perdeu. Quando ele venceu o sua equipe foi chamada de Família Scolari. Quando ele levou 7×1 e depois 3×0 o que vimos foi um bando de chorões sendo liderados por um sujeito teimoso que deixou de fazer muita coisa do que foi acima citado. Quando nos dedicamos às nossas famílias e negócios e fazemos tudo dentro dos conformes as coisas dão certo. Quando agimos contrariando isso perdemos o foco e motivação para fazer o que precisa ser feito.

Se algo na vida é certo e irrefutável é que sempre existe uma causa e consequência. Se você escolhe ser e agir como um derrotado será derrotado. Se opta por lutar e vencer suas limitações e mudar  aquilo que está de errado em você mesmo, pode ter certeza, que a consequência disso jamais será uma derrota. 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

Raoni – uma besta quadrada ao cubo (Parte III) A masmorra do X

Chegamos ao final dessa trilogia sobre a bestialidade humana. Uma tragicomédia sobre a ignorância e falta de bom senso de Raoni. Nos últimos tempos Raoni passou frequentando bocadas de fumo vendendo herbalife, codinome criado por ele para maconha. Sua carreira no submundo do crime foi denunciada pelo fake trollador Dudu Kulix nesse post:Raoni vai em cana

Para Raoni a casa caiu e irônicamente para o fake que o denunciou não. Hahahaha-ha! Agora Raoni será enviado definitivamente para a masmorra ou calabouço. Passará um bom tempo fora de circulação sendo ressocializado pelo eficiente sistema prisional brasileiro na companhia de facínoras e malfeitores que poderão fazer coisas indizíveis com Raoni e seu corpinho de índio balofo.

Quem sabe Raoni aproveite o seu tempo atrás das grades e estude vindo a aprender alguma coisa de útil. Assim quando sair do xadrez ele talvez tenha deixado de lado o olavismo que também é uma droga. Uma droga pesada que entorpece a capacidade de pensar e agir de acordo com a razão e bom senso.

Para Raoni ficam nossos votos duma boa estadia na masmorra do X.

BJ – o sexólogo

Essa não poderia passar batido!

BJ Xavier “Essa coisa de sexo é uma fase traumática aparente pela qual atravessa o velho Chico”.

Essa pérola foi proferida por BJ o sexólogo de araque, o psiquiatra das multidões, pai da psicanálise via redes sociais!

“Essa coisa de sexo” na ótica de BJ sempre foi traumática mesmo. Tendo em vista o fato dele ter pedido a virgindade num quartel do Exército após ter sido molestado por baionetas e rifles de longo alcance. Ademais, é fato notório que a vida sexual de BJ se resume a usar seu fake feminino Mayara para aliciar punheitos na internet visando manter conversinhas picantes sem que saibam que se trata dum velho com disfunção erétil do outro lado da tela.

Outro fato estranho é que BJ sente mais atração por motos do que por mulheres. Numa foto duma moto com uma moça, postada por ele mesmo, ele diz que “faria de tudo para ter ela”. Logo em seguida Chico diz: “Eu também faria! Essa mulher é muito gata!” Daí BJ retruca: “Eu estava falando da moto, não da moça.Meu interesse é tão somente pela motocicleta”.

Raoni – uma besta quadrada ao cubo (Parte II) “Olavete na razão e comunista de coração”

Se alguém nessa vida é um gerador de  teorias sem pé nem cabeça, esse alguém é Raoni.

Reconhecer que está equivocado e admitir erros crassos em muitas, mas muitas mesmo, situações está completamente fora das limitações desse cidadão latino americano mediano.

Raoni que morre de medo que o Brasil se torne um país comunista com foice e martelo na bandeira nacional. Passa dias, meses e anos de sua vida numa intensa epopéia tragicômica na qual ele mesmo é personagem principal dessa angustiante saga por se tornar mais um mero ignorante que quer ter razão…

É nesse estágio atual que se encontra a vida de Raoni. Isto é, neste o estágio pré-falência total das capacidades de bom senso e razão. Ele renunciou de vez o uso dessas duas qualidades humanas imprescindíveis a vida em sociedade. Vive num mundo abstracionista de conexões entre a realidade e episódios do True Outspeak e ainda não reconhece que é olavete.

Como se ainda não fosse alarmante. Criou uma vasta corrente de pensamento positivista que mistura suas manias bairristas e desconfianças infundadas com filosofias falaciosas produzidas pelo douto entendido em astrologia o qual rende louvas e louvaminhas.

Raoni até talhou numa pedra de sua aldeia de pensamentos metafísicos a seguinte máxima: “Desconfio, logo é verdade”. Deveras estar petrificado em pensamentos de tal mote e gabarito que não consegue vislumbrar uma simples verdade por mais exígua que esta seja.

Ao invés disso, prefere pretensiosamente escamotear e criar subterfúgios de forma metódica visando obter alguma validade de suas teses mirabolantes acerca de qualquer assunto. Ao invés de assumir que padece de nosomania prefere locupletar-se em idéias eivadas de sentidos nada pitorescos.

Perdulário duma argumentações desprovida de alicerces ontológicos, passa a relativizar suas teses abarrotando linhas e linhas com questionamentos e mais questionamentos em face de seus interlocutores. Tal expediente astuto lhe dá a única saída que lhe resta: Dizer que o interlocutor não lhe deu todas respostas. E mesmo que as desse diria Raoni que faltaria citar a bibliografia nos mínimos detalhes e usar as regras da ABNT para que a resposta seja dada por ele como válida. Enfim, nada o convence – a não ser a prévia certeza sobre aquilo que ele desconfia e logo dogmatiza como verdade inaudita por centenas de outros.

Eis uma vasta amostra grátis dessa técnica infalível amplamente utilizada pelo Raoni numa discussão sobre Black Blocs:

“E aí Alex, segundo você esses movimentos são tendências naturais da sociedade democrática com acesso a informação, que trazem apenas benefícios? Ou será, que são jovens ingênuos que aprenderam que o mundo ideal virá após a destruição das instituições opressoras? Qual das duas opções parece mais coerente? E partindo do seu argumento de que são grupos fracos que cairão no esquecimento, você não acha um grande prejuízo que pessoas se dediquem tanto tempo a causas falsas, que induzem e confundem as pessoas, que gera instabilidade, violência e mortes?”

Depois ainda manda uma segunda saraivada de perguntas:

“Segundo você eles estão corretos em suas estratégias? Um grupo que promove violência, prejuízos enormes, tira o direito de ir e vir, onde seus membros, muitos até universitários, acham que com essa estratégia eles estão lutando por mais saúde, mais educação, mais igualdade, etc. Pessoas que poderiam estar produzindo pra sociedade estão destruindo-a. Você vê isso como benéfico pra sociedade? Outra coisa, minorias extremistas são reflexo de uma tendência maior, pra cada Black bloc existe centenas de simpatizantes com o movimento, ou seja, ele é reflexo de uma demanda maior. Outro ponto, quem ensinou isso a eles? Essa revolta tem justificativa, ensinaram pra eles que a sociedade está um caos, por causa das instituições opressoras que exploram o povo, do imperialismo que rouba nossas riquezas e culpados pela fome na áfrica. Ninguém cria essas teorias do nada, elas são ensinadas e quem será que ensinou isso? E de onde veio as idéias que influenciaram esse pensamento?

Vejam só se não há razão para taxá-lo de desajustado e recalcitrante:

No grupo Duelos Retóricos, Raoni fez exatos nove debates dos quais foi fulminado retoricamente em todos esses debates. Chegou ao ponto de expressar seu modo de pensar, agir e projetos nessa frase que sintetiza sua vida e obra: “Não que eu seja exemplo de honestidade mas há um interesse pessoal meu em jogo, busco o caminho da verdade e penso em criar um modelo político que consiga este fim. Para isso busco também selecionar pessoas que tenham esse perfil de honestidade mesmo quando pressionadas, e para que eu os encontre tenho que primeiro ser exemplo”.

Vamos por partes nessa análise da síntese da vida e forma de ser e agir de Raoni:

Primeiro diz ele mesmo de próprio punho que não é “exemplo de honestidade” e depois diz que “busca o caminho da verdade” e finaliza a frase dizendo: “penso em criar um modelo político que consiga este fim” – Ora bolas Raoni não seja tão burro assim! Esse modelo de conduta de não se achar exemplo de honestidade e buscar a verdade e criar um projeto político que reúna ambas as coisas se chama comunismo seu idiota! Esse mesmo comunismo que você todos os dias critica e amaldiçoa repetidas vezes ao dia!

Agora notem a segunda parte do argumento dele que é uma dissimulação clássica digna de Luís Inácio Lula da Silva nos idos tempos de seus discursos inflamados no Sindicato de Metalurgicos do ABC; eis a sentença desprovida de caráter da lavra de Raoni: “Para isso busco também selecionar pessoas que tenham esse perfil de honestidade mesmo quando pressionadas, e para que eu os encontre tenho que primeiro ser exemplo”. Então Raoni se você pensa assim por que diabos até hoje nunca se filiou ao PT?

Por essas e outras é que Raoni é um ser comparável ao detestável Tavinho. Não consegue manter uma linha congruente de pensamento, e pior ainda, segue um estilo de argumentação que é simplesmente desprovido de nexo causal com o fundo do seu ser, pois de fato, Raoni é olavete na razão, mas comunista de coração.

Raoni – uma besta quadrada ao cubo

Eis aqui a sanha acusatória e conspiratória de Raoni o Índio Capitalista e Olavodólatra:

Raoni Latalisa Cozzi Putz Alonso Prado, vc ja foi melhor com fakes, me parece que esse vc fez pra ficar parecendo que é do Octávio Henrique mas pra no fundo a gente pensar que é do Roger Andre.

O psicossoma de Raoni pelo visto cada vez mais tem se assemelhado ao de Olavo de Carvalho. Raoni a cada dia que passa vive mais e mais profundamente mergulhado num mundinho de teorias da conspiração e falsas acusações e teorias. A mais famosa e repetida pelo boçal do Raoni é aquela em que ele alega que os marxistas querem dominar o planeta terra através de governos dominadores e ideologias insidiosas.

vpr2ei

Mas quem é Raoni de fato?

Uma breve biografia de Raoni mostra que ele é bancário, funcionário de carreira do Banco do Brasil e nas horas vagas vendedor de produtos da linha Herbalife. Além de devoto fiel de Olavo de Carvalho 24 horas por dia.

O que ele não sabe é que seu amado mestre do Seminário de Filosofia & True Outspeak disse o seguinte em certo episódio: “Tem sujeito mais psicótico que funcionário do Banco do Brasil? Basta ver quem são os pacientes de psiquiatras e internos de hospícios e vão ver que grande maioria são funcionários desse banco”. Já em outro episódio Olavo mandou a seguinte letra para um participante: “Se você é um destes imbecis que fica entrando nessas presepadas de vender milk shake diet da herbalife eu recomendo que antes se trate duma doença mental latente chamada burrice e não me encha o saco!”

Mesmo assim, Raoni continua fiel ao dogmatismo olaveiro sem arredar o pé da sua devoção intelectual pelo astrólogo.

Agora vamos a um fato no mínimo estranho. Ontem eu postei um artigo intitulado: “O pastiche mal acabado de Olavo de Carvalho ao som do funk” no blog Sociedade Alternativa de Letras. Nesse post eu usei propositalmente os tags e marcações que são dos posts do Tavinho, pois o texto era um apanhado de críticas sobre o rapazola desmiolado feito por inúmeros desafetos dele. Horas depois o post em questão é apagado do blog referido e aparece num novo blog criado por um fake chamado Edu Klulix no qual este ser anômalo batizou Das Putarias. Até aí tudo bem não há nada do que se reclamar devido ser uma mera picuinha entre A, B ou C.

O que de fato causa estranheza nisso tudo é Raoni afirmar de forma categórica esse descalabro contra minha pessoa sem conhecer os fatos supracitos. Eis o comentário do Raoni mais vez para não restar dúvidas: “Raoni Latalisa Cozzi Putz Alonso Prado, vc ja foi melhor com fakes, me parece que esse vc fez pra ficar parecendo que é do Octávio Henrique mas pra no fundo a gente pensar que é do Roger Andre”.

Por que raios eu faria um perfil fake chamado Edu Klulix? O qual ainda pede para ser meu amigo no facebook? Por que ainda criaria um blog chamado Das Putaria com base nesse perfil fake com a nítida intenção de se passar pelo Tavinho o qual já xingo aqui e acolá abertamente e ainda pensando que isso vai cair nas costas do Roger o qual também detono aqui e acolá? Pior ainda por que diabos ainda postaria na porra do blog algo contra mim como é caso desse post de autoria do Roger: Alonso Prado = Poldinho? Por que o Raoni crê piamente que eu faria isso? A resposta não pode ser outra senão: Isso é uma conspiração de olavates contra minha pessoa! Ora bolas! Só pode ser isso mesmo!

 

olavo_carvalho

Vejam bem se não pode chegar ao ponto de ser isso mesmo: O Raoni e Tavinho são olavetes de carteirinha e sujeitos com um nível intelectual similar a duma vaca no pasto ruminando e produzindo fezes. Ambos tem baixa-auto estima, pois vivem sendo massacrados em todos os temas que metem o bedelho por causa do uso repetitivo de testes olaveiras. Ambos por si só já fazem um mal danado a si mesmos por serem esse dois panacas que ao invés de estudar ou ler um bom livro, preferem passar a vida crendo no tio Olavão e chorando pelos cantos que não são compreendidos em suas idéias.

Se o blog é o do Roger, do Alex, do Gnu ou da puta que pariu o Tavinho. Seja de quem for, o fato é que o Raoni deu muita importância ao blog Das Putarias e merece ao menos ser homenageado naquele blog pelo Edu Klulix fake de merda que Raoni acha que é a minha pessoa. Mas como não sou eu esse fake de merda nem dono daquele blog dos infernos, eu vou detonar o Raoni aqui mesmo enquanto ele ficar dizendo que a porra do fake e do blog Das Putarias são meus. Afinal, putaria por putaria eu faço as minhas aqui mesmo…

 

img_0500

Então vamos ver até onde o Raoni de Carvalho vai com essa teoria conspiratória de merda que esse fake maldito seja da minha exclusiva autoria e quando o Raoni resolver acusar outro, mesmo assim eu irei da mesma forma fazer questão de jogar a merda que ele mesmo produz na cara dele aqui nesse blog chamado Aloprado Alonso!

 

 

946213_471116479645011_217281532_n

 E tenho dito porraaaaaaaaaaaaa!

Os maiores chatos e xaropes das redes sociais…

 

Este blog há anos trava uma cruzada contra determinados seres que ao invés de estarem num manicômio, estão nas redes sociais nos atormentado com suas visões ignorantes e fúteis da realidade.

Eu mesmo até pensei em abandonar as redes sociais para me ver livre desses seres que parecem ter sido gerados em algum laboratório de neurociência mal intencionado, o qual criou seres desprovidos de bom senso, cultura e raciocínio lógico.

Diante desse cenário caótico em que se encontram as redes sociais eu venho aqui pedir encarecidamente que me ajudem nessa campanha de revitalização mental e moral das redes socais.

Caso contrário irei formar um grupo terrorista de caça a estes seres que postam coisas inúteis nas redes sociais e fazem uso desse meio como propagador de mentiras deslavadas, brigas e contendas sem fim dos mais variados gêneros e motivos; além de outras práticas dignas de serem taxadas de insânia coletiva.

Não estou indo contra a liberdade de expressão de cada um, mas sim contra o excesso de chatice e pedantismo de certos grupos de pessoas que só sabem choramingar e falar sobre assuntos com abordagens cafonas e desprovidas de melhores reflexões.

Vamos dar nome a essa boiada então:

 

– Militantes Políticos Xaropes de Qualquer Natureza

Essa sem dúvida é a maior população de chatos e ignorantes que povoam as redes sociais em busca de atenção para suas teses política desgastadas e senso social profundamente hipócrita.

Há diversas subcategorias que a partir de militantes de esquerda e direita travam batalhas de blá blá blá e mimimi intermináveis pela busca da razão para suas propostas e teses políticas mirabolantes e sem fundamentos.

Dum lado temos coxinhas, reaças, e toda sorte de espécimes que defendem a velha e boa hipocrisia das famílias quatrocentonas, repletas de tabus e falso moralismo conservador. Do outro um bando de camaradas que querem libertinagem extrema em todos os sentidos e igualdade às custas de dinheiro do governo e muita malandragem ideológica heteromarxista.

Esses dois extremos vivem em pé de guerra. Uns defendem o PT com faca nos dentes e sangue nos olhos, já outros defendem o PSDB com o rei na barriga. Passam o dia inteiro fazendo postagens uns contra os outros. Todavia, ambos agem como fossem donos da mais imaculada verdade sobre a realidade social, política e econômica brasileira desde que Cabral descobriu essas terras.

 

– Fanáticos Religiosos de Qualquer Natureza e Ateuzolas Radicais

Aqui estão contemplados duas castas de pessoas que só sabem se intrometer uma na vida do outro. Os crentelhos querem converter o mundo inteiro tornando as redes sociais um novo território de missão para que todos aceitem Nosso Senhor Jesus Cristo como o salvador de nossas vidas! Aleluia e amém!

Já os ateuzolas radicais querem que todos neguem a religião, Deus, os santos, a Bíblia, e passem a viver de acordo com a sagrada teoria evolucionista de Darwin, com as santas teses de Richard Dawkins, e outras coisas similares…

 

– Piriguetes Exibicionistas – Solteironas Encalhadas – Mal Amadas de Qualquer Natureza

Essas são prato cheio para os marmanjos xavecarem sem dúvida alguma!

Sabe aquela garota que todo dia posta fotos do seu corpo dando muita ênfase ao bumbum, seios e coxas com roupas curtas em baladas, academias e praias? Pois é, essas são as piriguetes exibicionistas. Elas até possuem um belo corpo sim,mas uma cabecinha bem vazia. Possuem uma personalidade e mentalidade que não vai muito além de acordar, passar cosméticos, malhar, sair bater pernas, comprar roupas e depois bater uma selfie nesses points citados. Essas garotas passam anos e anos fazendo do seu perfil um centro de atração para moleques punheteiros.

As solteironas encalhadas e mal amadas são uma categoria que vive postando frases de amor, de auto-ajuda ou de como os homens são canalhas. Passam horas e horas postando mensagens bonitinhas com algum sentido moral ou intelectual profundo para que elas mesmas depois não façam nada daquilo e continuem mal amadas ou encalhadas; porque de fato são umas chatas e fúteis mesmo.

 

– Viciados em Desgraças

Já viu aquele tipo de pessoa que só sabe postar fotos e críticas fáceis sobre a fome e doenças na África, sobre a morte de milhões de pessoas por causa dum tsunami, sobre algum um caso de assassinato ou guerra que a mídia está dando enfoque ou animais maltratados?

Esses são os depressivos viciados em catástrofes e tragédias. Não passam um dia sem postar algo assim. E esperam ainda mudar o mundo se curtirem aquela postagem diz que irá doar um prato de comida para um mendigo que passa fome ali na esquina da casa dele.

Diante desse cenário caótico de postagens e seus propagadores de carteirinha, o melhor a fazer é sem dúvida evitar adicionar espécimes dessas categorias e passar a sua estadia nas redes socais de forma mais alegre e divertida longe de tanta apelação excessiva.

Para essas quatro categorias acima citadas vai aqui o meu fuck like:

flike

E tenho dito!

 

Gnutrix – “Muita picuinha por nada”

gnutrix

Lucas Pierre é um entre os milhões de seres humanos que não debatem. Neuralmente ele estava conectado ao sistema do analfalulismo das redes sociais.

Ignorava que o mundo em que vivia é diferente do que parece. Entretanto, nesse mundo de cotas e MEC, ele vive uma vida dupla. Nas suas atividades legais, ele é um pacato programador de sites pornográficos que passa o dia se masturbando enquanto trabalha.

Mas Lucas também é um hacker que penetra em sistemas de computador ilegalmente e rouba informações de perfis de fakes, sob o seu apelido hacker de “Pipi”. Durante a sua vida como um hacker, Lucas descobre algo conhecido apenas como Gnutrix.

Durante os anos anteriores sem conhecer aos acontecimentos relativos à Gnutrix, Lucas Pipi gastava seu tempo tentando encontrar um troll – um suposto terrorista das redes sociais conhecido apenas como Big John Bill. Mas o que Lucas Pipi não sabe é que BJ Bill o tem observado por um longo período de tempo planejando sequestrá-lo visando usar suas habilidades no campo da informática. BJ Bill não sabe sequer fazer print screen e precisa dos conhecimentos e técnicas hacker de Lucas Pipi para tentar destruir Gnutrix lançando um vírus que façam todos apenas debaterem utilizando argumentos ad hominens.

O arquiteto da Gnutrix, Levix Gandalf, identifica Lucas Pipi como sendo a pessoa fora da Gnutrix, a qual ele acredita ser o escolhido, ou seja: The Special One of Debates. Enquanto BJ Bill acha que e ele pode ser útil para destruir a rede de debates de Levix Gandalf, este por sua vez crê que Lucas Pipi seja a salvação.  

Certo dia Lucas Pipi vagando pelas redes sociais em busca de companhia feminina é seduzido pelo perfil fake de BJ Bill conhecido como Mayara. Mayara é perfil fake de mulher criado por BJ Bill que seduz desavisados em redes sociais e os fazem masturbar-se em conversas libidinosas. Sem saber que do outro lado do computador está um velhote gordo e sexualmente transviado BJ usa esse expediente para ter uma vida sexual ativa através desse fetiche virtual. Como Lucas Pipi é viciado em bater punheta sob o menor pretexto ele é presa fácil para as artimanhas de Mayara e cai nessa feito um patinho.

Mayara faz Lucas Pipi exaurir-se de tanto masturbar-se e depois que ele desmaia BJ Bill invade seu quartinho de república e o seqüestra visando passar para a segunda parte do seu plano maquiavélico de destruição da Gnutrix. Mesmo assim, Pipi recusa-se a cooperar com os planos de BJ. Em virtude disso BJ instala um chip chamado backdoor implantado no centro do ânus de Pipi, a fim de que seus atos possam ser monitorados por BJ. No entanto, Pipi é salvo das garras de BJ por Alex Chicken um dos aliados da Gnutrix. Chicken remove a backdoor e Pipi é levado até Levix para um encontro que mudaria sua vida.

Para Lucas Pipi seria oferecida a opção de se manter na sua vida cotidiana de punheteiro ignorante da era analfalula ou ver à realidade e aprender o que é a Gnutrix.

 

# O encontro com Levix Gandalf

Para Lucas Pipi seria oferecida a opção de se manter na sua vida cotidiana de punheteiro ignorante da era analfalula ou compreender a realidade e aprender o que é a Gnutrix.

Levix Gandalf sentado numa poltrona e empunhando seu cajado fala para Pipi:

– Está vendo essas duas pílulas a sua frente? A azul é Viagra e a vermelha é de groselha. Mas essa groselha está batizada com uma droga que eu inventei a base de LSD e excstasy e substratos de maconha com crack que altera o funcionamento neural e faz você conhecer a Gnutrix.

Lucas fica entusiasmado ao ver pela primeira vez na vida uma pílula de Viagra na sua frente e Levix prossegue seu discurso explicativo:

– Gnutrix que é um mundo paralelo onde as pessoas debatem sobre a verdadeira realidade não fake da era analfalula. Cabe a você optar se quer tomar Viagra e bater punheta o resto da vida permanecendo na ignorância, ou se quer tomar a vermelha e descobrir um novo mundo. Caso você escolha tomar Viagra eu ainda enfio esse meu baita cajado no seu rabo para você desejar esquecer desse nosso pequeno encontro e te mando de volta para sua vidinha chata e fútil! A escolha é sua Pipi!  

Lucas Pipi intimidado pela idéia de levar um baita cajado no rabo opta por tomar a pílula de groselha batizada com coquetel de entorpecentes. Faz isso também motivado só para ver no que vai dar aquela zoeira. Assim que engole a pílula ele é tele-transportado para dentro da Gnutrix através dum delírio psicótico.

 

Ao recobrar a consciência Levix Gandalf apresenta para Pipi os agentes da Gnutrix:

– Este magrelo de ray ban é Alex Chicken, você já deve conhecê-lo devido ele ter retirado do seu fiofó com uma luva de Fred Krueger o chip backdoor. Creio que tenha sido uma experiência muito infeliz para você Pipi e lamento por isso…

Lucas coça a bunda e faz beiço e apenas diz com sua voz fininha: É pode crer que foi bah!  

Levix continua com as apresentações:

– Aquela macaca Chita ali é Roger Monkey, eu o abduzi no passado do Planeta dos Macacos. Ele é nosso produtor de perfis fakes ultra seguros, os quais mantém diálogos libidinosos com Mayara tentando descobrir onde BJ Bill está agindo…

– Por fim, aquele careca ali caído de tanto beber e com camiseta do Motorhead é Chico Kojak. Ele já foi chamado de Chico Sofista, mas depois que rapou a cabeça resolvi rebatizá-lo. Ele também foi vítima, assim como você, de Mayara e ele será o seu parceiro em suas missões. Recomendo que mantenha ele sempre amaconhado e hidratado com cerveja senão ele fica nervoso.

Levix prossegue:

– Sua primeira missão será descobrir o paradeiro de Alonso Black, um de nossos debatedores que fugiu da Gnutrix. Ele sempre foi desafeto de BJ Bill e deve saber um meio de exterminar com os planos sórdidos dele. Segundo as últimas informações sobre o seu desaparecimento ele foi visto trocando idéias com uma bruxa chamada Marix Munix a qual segundo amigos de Alonso é sua mentora ou talvez um perfil fake gerado pelo próprio Alonso devido o Roger desacreditar na existência real dessa bruxa.

– Nós iremos juntos consultar essa bruxa em seu apartamento e ver se ela possui alguma informação útil sobre o paradeiro do bode ou se é de fato Alonso se passando por outra pessoa. Então Pipi, troque de roupa e coloque aquele macacão de vinil rosa especialmente feito sob medida para você e vamos ao trabalho! Mas antes, pesando bem… vamos tomar um porre porque não somos de ferro…

 

# O encontro com a bruxa Marix

Ao chegarem completamente de porre no apartamento da bruxa, Levix e Pipi são recebidos amistosamente pela mesma:

– Olá meus amiguinhos da Gnutrix quanto tempo! Hoje querem doces ou travessuras?

Lucas responde

– Eu tava é afim mesmo dum chimarrão feito com maconha!

– Hahahaha que rapazinho jovial e engraçadinho esse seu novo amigo Levix! Gostei do modelito dele! Mas que pena que não tenho maconha aqui. Afinal eu sou careta só tomo esses chazinhos de cogumelo… Querem uma xícara?

Entre uma xícara e outra de chá de cogumelo Levix questiona a bruxa vestida de negro e chapéu cônico sobre o paradeiro de Alonso Black e ela revela a fita do bode:

– Ah sim! O Sir Alonso! Pobre rapaz! Ele andava com problemas sérios com bebidas e tive que interná-lo no AA de Azkaban e desde então está lá numa cela fumando muitos charutos cubanos e certamente produzindo muitos posts no sense no blog dele como terapia ocupacional para ver se esquece da bebida!

Depois disso Pipi deixa Levix tomando glicose no SUS devido os efeitos do porre e chás alucinógenos de Marix e parte para Azkaban conversar com Alonso Black.

 

# O encontro com Alonso Black

Alonso Black estava numa cela com proteção de vidro no final dum corredor feito de pedra. Ao avistar Alonso lá estava ele trajado com uma camiseta do Vol 4 do Black Sabbath, calças de moleton e crocs. Estava jogando golf de tapetinho com um charuto na boca que encobria sua cara barbuda numa nuvem espessa de fumaça de tabaco.

Lucas Pipi então pergunta na lata para Alonso Black:

– Olá bode velho! Eu vim aqui saber se você, tipo assim, por acaso, sabe de alguma coisa sobre como encontrar e exterminar o BJ Bill e salvar a Gnutrix dos planos malzinhos dele?

 

Do meio daquela nuvem de fumaça de charuto parte uma gargalhada e uma fala típica de advogado malandrão:

– Hahahahahahahahahahahahahaha-ha! Por que acha que eu saberia disso hein? Eu quero mais é que aquele velho idiota foda mesmo com a Gnutrix que não vale mais merda nenhuma brodi! Tá achando que sou filantropo man? Para saber de alguma coisa de como achar e acabar com a raça daquele escroto do BJ vai ter que me dar algo em troca! Quid pro quo mano! Quid pro quo baby!

– Aff que tédio… Enfim… o que você quer em troca Alonso?

Alonso para de jogar golf e senta-se numa cadeira e solta uma baforada de charuto contra o vidro e dá um sorriso irônico e diz:

– Ora bolas do meu saco Pipi! Me conte tudo e não esconda nada! Me diz aqui entre nós, em segredo, tu ainda sonha com a cabritinha do Patrick?

Lucas Pipi chocado por ter que confessar seus sonhos eróticos com Patrick Cabrito conta em detalhes seus sonhos sórdidos. Depois disso Alonso Black orienta Pipi a procurar o Hanger ex-comparsa de BJ no Reino dos Deboches para obter mais informações sobre o paradeiro de BJ e seus planos.

Após essa conversa insana Lucas Pipi parte para o interior de Minas Gerais interrogar Hanger cujo apelido também era “Garganta Profunda”. O codinome pelo qual ficou conhecido um informante que deu as informações aos jornalistas do Washington Post que desmascararam o plano do presidente Richard Nixon para destruir os rivais do Partido Democrata. Agora tal alcunha servia para um mineiro com cabelo de tigela, o qual poderia vir a ser o suposto cagueta dos planos de BJ para destruir com a Gnutrix.

Pipi encontra Hanger comendo queijo na beira dum riacho enquanto também pesca e obtém de Hanger as seguintes informações:

– Oia pel qui iue cunheçu bem du Big Jão, cá qui entre nois, é qui o homi num anda batendu bem da caxuleta já faiz mode uns trinta cuarenta anu uai! Intão ieu achu mió ocê vortá lá e tirá mais um dedin de prosa cum o bodi e vê se el ti dá mais arguma infurmação purquê iue memo num lembru di mais nadin di nada mode qui tomei mucha caxassa dispois dessa epúca i também fiquei mei gorgue da caxuleta…

Ao retornar para Azkaban, Pipi narra sua conversa com Hanger e tenta obter mais informações de Alonso que ao saber dos relatos da conversa com Hanger diz:

– Everybody lies Pipi… Acha mesmo na sua tola ingenuidade que iria tirar alguma coisa dum mineiro? Ele não é babaca como o Aécio Neves ora bolas! O Hanger é um cofre forte de informações! Se quiser saber algo dele terá que arrombá-lo! Por isso peça ajuda ao Chico Kojak e Roger Monkey e desçam o porrete nesse mineiro duma figa para que ele confesse tudo que sabe de BJ e seus planos… E quando voltar aqui me traga uma caixa de charutos e uma garrafa de Jack Daniels! E tenho dito!

Mais uma vez Lucas Pipi segue as orientações de Alonso e parte para a nova fase da empreitada investigativa. Chegando na casa de Hanger logo metem o pé na porta e colocam Hanger numa roda de pontapés até que ele fique completamente sem reação e Roger Monkey toma a palavra:

– O senhor é um fanfarrão hein Hanger! Você não é debatedor é moleque! Agora me diz seu merda! Cadê o BJ? Cadê a porra do BJ, filho da puta?

– Ieu num sei di nadin uai!

– ô Chico! Bota essa desgraça comedora de queijo no saco!

Chico Kojak pega um saco plástico e sufoca Hanger, depois Roger Monkey continua o interrogatório truculento:

– Quando escuto esse mimimi que “não sei de nada”, parceiro, eu tenho vontade de sair metendo a porrada. Sabia disso Hanger? Sabia seu bosta? Agora olha aqui pra mim vagabundo! Olha! Cadê a porra do BJ? Cadê?

– Ieu já disse qui num sei du Big Jão uai! Mi deixa in paiz satanaiz!

– ô Pipi aspira! Pega aquela vassoura ali pega! – Depois disso Roger continua tocando o terror:

– Eu vou enfiar esse cabo de vassoura no seu rabo seu filho da puta se você não abrir o bico sobre onde é que tá o merda do BJ!!! E Hanger retruca:

– Ieu já falei mir veiz qui num sei nadin du Big Jão, cê é surdin macaquin? Enfia logu esse cabin de vassora ni mi que eu to afim memo uai!

Roger fica completamente puto da cara e aos berros ordena para o aspira Pipi:

– Traz a doze pra mim Pipi! E coloca a sementinha do mal nela que eu vou estourar com o rabo desse zé roela é no chumbo mesmo!

Roger engatilha a escopeta enfia no rabo do Hanger e puxa o gatilho e explode com a bunda do mineiro fazendo voar bosta e sangue por todos os lados e depois disso Chico diz:

– Carai mano! Quem vai limpar essa merda toda?

– Manda o aspira limpar essa merda toda! Essa pica não é mais minha. Essa pica agora é do aspira!

Depois de bancar a faxineira e ocultar todos os vestígios da morte de Hanger, Lucas Pipi vai mais uma vez em busca de informações com Alonso. Ao chegar no AA Azkaban pela terceira vez, Lucas descobre que Alonso fugiu e ninguém sabe onde o bode poderia ter ido. Nesse mesmo momento o celular de Pipi toca e Alex Chicken informa que BJ Bill seqüestrou Levix Gandalf e que precisa da ajuda dele para procurá-lo.

 

# Desfecho inusitado para um série de fatos sem sentido…

Enquanto isso Alonso Black está numa barbearia fazendo a barba e cortando sua cabeleira. Solicita ao barbeiro que o deixe com uma aparência comum semelhante a dum inofensivo nerd. Depois do novo visual pronto Alonso se disfarça de Testemunha de Jeová e vai até a casa BJ Bill simulando uma visita rotineira de pregação as quais BJ sempre dá ouvidos. Mediante tal dissimulação e disfarce Alonso consegue fazer com que BJ o receba em sua casa sem desconfiar que se tratava de seu velho arqui-inimigo.

No meio da pregação fake sobre fim do mundo e Armagedon, Alonso nota um descuido de BJ que ao dar as costas para o suposto TJ recebe um golpe de vaso na cabeça. Mas devido a cabeça de BJ ser tão dura como o cabeção de Tavinho, o vaso se quebra e nenhum mal faz a Big John que se vira e agarra Alonso pelo colarinho sem ainda reconhecer que era o bode malvado.

A partir disso começa uma luta de kung fu gnutrix entre ambos. Golpes mirabolantes que deixaram Bruce Lee morto de inveja se sucedem na luta até que depois de levar um chute na pança BJ atravessa a parede e cai desmaiado no chão. Aproveitando o suposto nocaute de BJ, Alonso passa a vasculhar a casa e encontra Levix preso no porão e nesse mesmo momento chegam ao local os outros agentes da Gnutrix que estavam a procura de seu mestre.

De repente BJ ressurge e usa seus poderes quixotescos se transformando numa série de centenas de Mayaras Mans que começam a bater em todos. Quando a luta parece perdida e tudo acabado para os Gnutrix eis que surge Marix voando em sua vassoura e pousa ao lado do BJ e lhe serve uma xícara de chá. BJ agradece a gentileza sorve o chá num gole e começa a passar mal. O efeito do chá faz BJ rodopiar e cair babando no chão com os olhos arregalados.

Marix usando seus poderes harrypotterianos havia conseguido criar um chá com efeitos de apagamento de memória e com isso fez um delete de toda sanha malévola de BJ em destruir a Gnutrix e todos voltam a ser amigos novamente.

Eis um final feliz para uma história de muitas picuinhas por nada.

FIM

Curto, logo existo

Com a evolução e o aumento de usuários e da importância das redes sociais, o nome e a fotografia de cada pessoa passaram a funcionar como o substituto do sujeito. O “eu” real se esvaziou para dar lugar ao “perfil”. O filósofo francês René Descartes estabeleceu um novo modelo de pensamento no século XVII, ao formular em latim a seguinte proposição: “Penso, logo existo” (Cogito, ergo sum). Era uma forma de demonstrar que aquele que existe raciocina e, por conseguinte, põe em xeque o mundo que o cerca. A dúvida científica substituía a certeza religiosa. Hoje, Descartes se reviraria no seu túmulo em Estocolmo, caso pudesse observar o que se passa na cabeça dos seres humanos. “Curto, logo existo” (Amo, ergo sum) parece ser a nova atitude lógica popularizada pelo Facebook. A dúvida científica cedeu espaço à presunção tecnológica.

Melhor ainda é a formulação da jornalista americana Nancy Jo Sales no livro Bling Ring – a gangue de Hollywood, a dúvida sobre a existência do ego deu lugar, na cultura do ultraconsumismo e das celebridades, a um outro tipo de pergunta: “Se postei algo no Facebook e ninguém ‘curtiu”, eu existo?”

A resposta é: provavelmente não. Eu existo se meus tuítes não são comentados nem retuitados? Claro que não. E se são curtidos ou retuitados, tampouco! Ninguém existe nas redes sociais senão como representações, que estão ali no lugar dos indivíduos. Não há uma transparência ou uma continuidade natural entre o que somos de fato e o que queremos ser nas redes sociais. Isso parece óbvio, mas não o é para muita gente. Agora as pessoas reais guardam uma alta concentração de nada nos cérebros, pois preferem jogar tudo o que pensam e sentem via suas representações nas redes sociais. Elas se tornam ocam para rechear de signos seus perfis. O verdadeiro eu migrou do mundo off-line para o online.

curto

É óbvio que os signos na internet podem enganar, mentir e insidiosamente simular um alter ego digital. Os vigaristas e falsários pululam alegremente com suas máscaras nas redes sociais. Quando alguém me “curte” ou “não curte”, está agindo com sinceridade na mensagem ou quer agradar e parecer inteligente? Ou está ironizando? Nesse sentido, se o eu do Facebook quiser se sentir mais vivo com o número de pessoas que o curtiram, estará caindo em uma armadilha. Pois ele não é o que é nem quem curte é o que parece ser. Mesmo quando a boa-fé existe, ela deixa de o ser porque nada se mantém estável no ambiente da “curtição” do Facebook.


Até a morte está vulnerável a ataques e profanações nesse meio movediço e enganoso em que, como diz Manuel Castells, a rede é a mensagem. Quando um indivíduo morre no mundo concreto, ela continua mais vivo do que nunca nas redes sociais online, pois seu perfil e seu histórico continuam atuando como se substituíssem o ser humano que os gerou um dia. A sobrevida virtual se torna maior e mais significativa que a vida real. É por isso que os robôs do Facebook geram mensagens aleatórias para que usuários vivos ou mortos “cutuquem” alguém que já está morto, ou “curtam” perfis que já subiram aos céus. Quantos mortos não receberam cutucadas ou convites simpáticos para participar de alguma causa ou curtir alguma página de celebridade? Quantas mensagens não são deixadas para os mortos como um tributo fúnebre?

Isso não me causa calafrios. Ao contrário, pertence à natureza humana acreditar na vida após a morte – e a tecnologia proporciona isso de uma forma concreta. Desse modo, ninguém mais morre totalmente. A vida se torna um prolongamento da morte e vice-versa – o que não deixa de ser uma realidade. Também ninguém mais vive de fato por causa da tecnologia. Quando clicamos para dar sinal de vida, estamos vegetando na indeterminação. Ainda vivos, contemplamos a nossa própria atividade post-mortem.

No que diz respeito a redes sociais, portanto, morrer ou não morrer, ser ou não ser, curtir ou não curtir, vodka ou água de coco, para elas tanto faz, não é uma questão. É, sim, uma tautologia, ou seja, significa dizer a mesma coisa, ainda que sob formas aparentemente contraditórias. Os mecanismos de busca não se importam com quem morre ou vive, salvo para assinalar datas de nascimento e morte. O algoritmo que move Twitter, Facebook e outros sites lê nossas atividades com a mais suprema indiferença.

O ato de “curtir” tem um poder ontológico: ele alterou irremediavelmente a nossa forma de encarar o mundo, os outros e a nós mesmos. Pois o “curtir” é a manifestação mais aguda da insistência do ego na cadeia da lógica binária do Facebook. Se eu “curto”, desejo afirmar minha existência, mas eu menos existo do que penso que possa existir. Se alguém me “curte”, posso adquirir certeza de que estou no mundo e me encher felicidade com o elogio, mas não há como verificar a veracidade dele e, assim, se eu pensar demais nisso, mergulho na frustração e na sensação de vazio existencial. E se o mundo existe só porque todos se “curtem” mutuamente, então ele virou um círculo vicioso de aprovações que o levarão inevitavelmente ao caos. O mundo, em suma, não pode existir fora do moto perpétuo da troca infinita de elogios e aprovações. Quem curte não curte algo, mas curte o próprio ato de curtir. Esse mundo paralelo peculiar se destruiria se houvesse contradições, confrontos e refutações. As redes sociais deram origem a universos de consenso absoluto. De minha parte, não curto, logo desisto.

CRÉDITOS:  Luís Antônio Giron, editor de Cultura de ÉPOCA

Psycho Boquete – a saga matadora de Tavinho

bates

Octavius não era uma criança como as outras. Desde que nasceu aquele vasto crânio avantajado despertava os olhares abomináveis de seus parentes e qualquer visita que viesse ver o rebento deformado semelhante ao corcunda de Notre Dame. Até mesmo o padre da paróquia recusou-se batizá-lo por achar que se tratava do anticristo. Sua mãe inclusive fora excomungada mesmo a contrário senso das leis da Igreja por não ter abortado aquele ser horripilante e choroso que soltava grunhidos pelos ânus avisando que viria muita merda toda vez isso decorria.

Segundo o padreco aquela prostituta que sequer sabia quem era pai daquela criatura de contornos tão dantescos tinha dado “luz às trevas”. Em virtude disso aquela mulher que tinha dado a xavasca nove meses antes e até o rabo para caminhoneiros da BR 116, preferindo sempre os carreteiros cearenses estava desesperada em face de sua vida de meretriz e por ser progenitora dum ser tão grotesco.

Octávius teve uma infância bastante atribulada graças à exagerada autoridade de sua mãe. Sua mãe, a ex-meretriz levou o pequeno bebê maldito para uma cidade do interior de São Paulo onde o criou trancado dentro de casa até que tivesse coragem de soltá-lo na rua numa certa noite de Halloween que ficou conhecida como “noite do chupa cabra” naquela cidade.

Nunca permitiu que o filho tivesse contatos com outros seres humanos, nem mesmo animais domésticos visto que um papagaio que ela tinha ganhado de presente morreu logo que se deparou com aquela pequena criatura medonha. O currupaco caiu duro no chão assim que avistou o moleque desprovido de formas normais.

Sua mãe nunca permitiu que nenhuma mulher carregasse seu filho ou tocasse naquele ser desmamado na garapa. De acordo com ela, o sexo era maligno e todas as mulheres – exceto ela – eram prostitutas ainda em atividade. Assim ambos viveram juntos muito dependentes um do outro por anos trancafiados numa casinha branca sobrevivendo de esmolas do governo.

Quando Tavinho já era adolescente, a sua mãe arranjou um namorado, situação que veio a despertar um sentimento louco de inveja em Tavinho. Num acesso de ciúmes veio à tona seu complexo de Édipo. Sem controlar seus impulsos assassinos em decorrência disso acaba por matar ambos a golpes de frigideira, guardando depois o corpo de sua mãe num freezer Brastemp linha branca. Depois disso, pegou a frigideira com a qual retirou a vida da própria mãe, colocou óleo de azeite Condessa Azeitona e nela depositou fatias do corpo do amante da mãe fazendo assim um picadinho canibal digno de Hannibal Lecter.

Após o crime, Tavinho desenvolve transtorno dissociativo de identidade misturado com transtornos de múltiplas personalidades e personalidade limítrofe. Doença mental rara, a qual a ciência médica chama hoje de “Doença de Tavinho”. Tal moléstia faz com que Tavinho assuma por vezes a personalidade dum ateu comunista convicto suposto leitor de Nietzsche e outras vezes a identidade dum olavete coxinha reaça.

Tavinho passa a freqüentar a escola e seu comportamento transtornado e arredio passa ser motivo de bulliyng. O rapazola anti-social devido ao seu isolamento na infância, não tinha conseguido desenvolver a capacidade da fala e apenas soltava grunhidos, peidos e berros como forma de se expressar. A única coisa que ele sabia reproduzir era a musiquinha do caminhão de gás através de gemidos insanos.

Numa noite, Patrick Cabrito, um viadinho trombadinha procura refúgio na casa de Tavinho e ambos se apaixonam. Patrick passa a cometer furtos visando contratar Felipe um professor gordo do interior que tinha fama de alfabetizar débeis mentais. Com isso Tavinho aprende a se comunicar e na sua última aula com Felipe ele o mata por achar que Patrick está dando em cima dele. Tavinho faz uma buchada com os restos mortais do gorducho e serve para Patrick.

Com o passar do tempo os desejos de paixão por Patrick aumentam e Tavinho passa a querer ter um filho com ele. Assim em virtude disso Tavinho passa a ter gravidez psicológica e isso faz com que sua personalidade perturbada começasse também a se alterar sem controle. Ora fica ateu comunista devido Patrick ser também ateu, ora fica olavete coxinha na ausência dele.

O romance dos dois dura pouco depois disso. Num acesso de ciúmes Tavinho acaba assassinando Patrick no chuveiro vestido com as roupas de sua falecida mãe e depois disso envia o corpo de Patrick para Big John Xavier lendário psicótico que tinha uma velha rixa com Patrick por ele tê-lo vencido num debate. Xavier ao receber o corpo empacotado com papel de presente e laçarote chama seu comparsa Hanger para efetuar a autópsia do corpo daquela bicha morta a golpes de faca Ginzu. Entretanto, Big John fica estarrecido ao notar que o defunto da baitola está capado e tem um ataque histérico quebrando toda casa e agredindo Hanger com mordidas como se fossem Luis Suárez e Chiellini.

Hanger foge procura abrigo no cafofo dum famigerado bruxo e beberrão chamado Gnu Valdemort nas redondezas da cracolandia. Gnu notando o estado assustado de Hanger pega um pote de Viagra toma cerca de meia dúzia de comprimidos e enfia sua vareta no mineiro castiço que apenas diz: “Uai gora carmei sô!”

Enquanto isso, Big John ainda em estado de cólera veste sua armadura quixotesca, encilha sua motoca e sai para caçar Tavinho com sede de vingança. No meio da madrugada encontra seu alvo fazendo boquete para Lucas Pipi num beco onde confronta os dois. Big John desce de sua motoca comprada a prestação num brechó, e a passos lentos e pesados devido seus duzentos quilos de banha caminha até os dois como se fosse um homem de lata desengonçado. A sombra de Big John cresce sobre aquele casal de maricas em pleno clímax do ato libidinoso e Lucas retira seus óculos embaçados de tesão e apavorado esbugalha os olhos fitando Big John Xavier face a face. Tavinho nota que algo está acontecendo e com a boca ainda cheia de sêmen pergunta: O que foi Luquinha? E Lucas Pipi trêmulo mais que vara verde diz gaguejante: É é é é o o o Bi Bi Big Jão!

Big John sem dó nem piedade saca sua espada medieval e num golpe digno de Highlander decepa a cabeça de Lucas Pipi do resto de seu corpo magro e raquítico. A cabeça de Lucas Pipi sai rolando até cair numa boca de lobo servindo de jantar para as ratazanas de esgoto. Depois Big John ainda mais furioso encosta sua espada no peito de Tavinho fazendo ficar contra um muro e pergunta com uma voz rouca e hálito de alho com cebola: Onde é que está a piroca do Patrick?

Tavinho mijando pelo dedão do pé responde morrendo de medo: Eu dei pro Chico Sofista! Big John arregala seus olhos, range os dentes, e aperta o pescoço de Tavinho ainda questionado: Por que diabos deste a piroca daquele cão maldito dos infernos para um ser vil repugnante, beligerante e litigante de má-fé como o Chico Sofista? Tavinho retruca: Porque ele queria se vingar de você por ter se passado por Mayara aquela médica japa tesudinha lembra? Big John ainda mais fulo da vida lança Tavinho contra o chão e pisa sobre o crânio gigante do garotinho juvenil desmamado na garapa e pergunta: Onde é que o Chico Sofista mora? Tavinho informa o endereço de Chico Sofista e Big John parte em disparada com sua motoca queimadora de óleo poupando a vida inútil de Tavinho.

Ao chegar na casa de Chico Sofista aperta a campainha e Chico Sofista abre a porta vestido com uma camiseta do Motörhead e com uma long neck na mão e diz: Olá Big John satisfação em revê-lo meu amigão! Big John falsamente responde: É um prazer reencontrá-lo Chico So-fis-ta agora me dê aquilo que é meu!!!! Chico sem compreender a indireta direta rebate: Tá locão veio? Não tenho nada que é teu mano! Big John dá uma joelhada nas bolas de Chico Sofista que cai sem ar no chão e revira a casa toda em busca da piroca morta de Patrick como procurasse um ovo da páscoa. Sem encontrar o objeto abjeto de seu desejo parte mais uma vez a busca de Tavinho.

Horas depois, já ao cantar do galo, encontra Tavinho concluindo uma felação em Marcelo Feitoza o Leão Gigantariano. Big John arranca Tavinho do pênis do espécime que assustado sai correndo como uma gazela assustada gritando:  O boquete é fake! E nisso brada Big John na cara disforme de Tavinho: Seu devasso deformado com cabeça de bambolê! Onde raios está a piroca de Patrick? Desta vez não minta para mim ou irei chutar seus fundilhos daqui até os quintos dos infernos e recomendar que Satanás o espete com seu tridente maldito por toda a eternidade nas chamas das trevas! Retifico sua ameba asquerosa, ambulante e boqueteira para que não reste a menor dúvida a minha indagação – Onde raios está a piroca do cabritinho?

Tavinho se fazendo de desentendido diz não saber onde a piroca de seu ex-amásio se encontra e implora que Big John tenha piedade de sua alma podre e mentirosa. Big John num acesso de boa vontade e clemência poupa mais uma vez Tavinho. Após uma noite inteira em busca da piroca de Patrick frustado com a perseguição mal sucedida Big John volta para sua casa toda quebrada, toma uma overdose de ansiolíticos e desmaia em sua poltrona velha e fétida de suor de bunda.

Enquanto Big John ainda em estado letárgico dormia sob efeitos dos tarjas pretas Roger Macaco sorrateiramente invade seus aposentos e com uma corda amarra Big John em sua poltrona e o leva consigo. Dias depois em algum recanto de Santa Catarina resolve acordar o velho insano usando a careca do mesmo como cinzeiro para seu cigarro. Big John acorda aos berros sem saber onde está o que espera por ele…

Roger encosta sua cara feia face a face e diz como se fosse o Coringa: Vamos colocar um sorriso nesse rosto! Big John berra desesperado como uma cadelinha no cio. Roger ainda profere um pequeno discurso sarcástico dizendo o seguinte: Sabe Big John, eu sempre quis ser seu amigo, mas você sempre preferiu o Hanger do que eu. Nunca me conformei com aquela eleição de moderador que vocês fraudaram. Eu até iria abrir a web cam para você aquele dia no msn. Se eu fosse moderador do Reino dos Deboches até faria isso, mas fiquei com medo de você ser um velho tarado que queria apenas se aproveitar da minha ingenuidade e me enganar novamente e por isso tive medo de você não ser realmente o homem da minha vida…

Big John aos berros faz sua réplica: Seu crápula malacafento do reino dos chimpanzés, seu meliante invasor de lares cristãos, por Deus eu ordeno que me desamarre desse sofá que ganhei de presente da falecida velha raposa comunista, a qual você sempre achou que era fake do bode, mas que era um amigo meu todo o tempo!

Roger sem dar crédito aos apelos e devaneios de Bigh John treplica: Ora ora Big John, acha mesmo que eu o trouxe aqui para mantê-lo amarrado nessa velha poltrona cheia de baba e manchas de cocôs? Nada disso meu amiguinho! Eu o trouxe aqui para nós termos uma noite de amor sadomasoquista! – E piscou para Big John com um sorriso no canto da boca e prosseguiu: Aliás eu tomei a liberdade de convidar o Alex Luthor para nós três fazermos um ménage à trois!

Big John lacrimejando de emoção faz suas considerações finais: Ui macaca! Porque não me disse antes! Precisava me assustar desse jeito! Me desamarra logo que já fiquei louca de paixão! Hoje você vai sentir a minha banana nanica no seu fiofó a noite toda!

Depois duma noite tórrida de prazer homossexual a três esse trio de bichonas resolve se casar e enviam convites de casamento para todos colegas da Duelos Retóricos. Aloprado Alonso, o bode, ao receber o convite e ler tem um ataque de gargalhadas, mas fica intrigado com aquilo e suspeita que seja mais uma das tramóias daqueles três lunáticos.

Disposto a ferrar com a vida de Big John, Luthor e Roger Macaco envia o mesmo convite que recebeu para Tavinho na esperança que ele tivesse um acesso insano de moralismo olavista anti-gayzista. Ao receber o convite Tavinho de imediato teve a reação esperada pelo bode e tramou a morte daquela trinca de viados dos debates num piscar de olhos.

Tavinho desenterrou a piroca morta de Patrick e foi ao casamento dos três viadinhos. Lá chegando disse aos noivos que queria lhes dar um presente de casamento e mostrou a piroca defunta para eles que ficaram alvoroçados e começaram a chupar aquela piroca descontroladamente. Tavinho por sua vez tinha envenenado a genitália putrefada de Patrick e com isso matou três viados numa tacada só. Após isso saiu feliz da vida do casório que a essa altura já tinha se tornado velório.

Aloprado Alonso compareceu ao velório, chegando ao ponto de fazer um falso necrológio em homenagem aos três defuntos que seriam cremados e depois suas cinzas enviadas para Gnu cheirá-las numa carreirinha como se fosse cocaína.

Dias depois Alonso encontra Tavinho e conversa com ele sobre o ocorrido e Tavinho meio arrependido confessa ter matado aqueles três patifes. Aloprado como advogado malandrão estava com um gravador escondido no paletó e enviou a fita para a polícia anonimamente. Uma semana depois Tavinho é preso em flagrante fazendo um boquete num menor de idade e com isso o acusam ainda de pedofilia. No julgamento Tavinho sem saber da jogada sinistra do bode para mandá-lo em cana, resolveu contratar o mesmo como seu defensor. Aloprado Alonso apesar de não cobrar nada, apenas alegou que Tavinho matou aqueles três baitolas não por ódio, vingança ou qualquer outra razão, mas sim por olavisse temporária. O júri não acatou a argumentação falaciosa da defesa alopradiana e condenou Tavinho a cadeira elétrica.

 

Esta é a história de Tavinho o Psycho Boquete