Arquivos do Blog

Fachin o Pachukanis do PT no STF

O que ocorreu hoje nessa sabatina do “jurista” Luiz Edson Fachin no Senado é a prova de que Álvaro Dias e todo PSDB estão integrados ao PT como um mero antagonista e oposição de fachada.

As ausências de Aécio Neves, Tasso Jereissati e José Serra na sabatina de Fachin são lamentáveis e prova que traíram seu eleitorado. Se FHC tivesse dignidade, entenderia a ausência dos senadores na sua homenagem em NY, ou melhor, insistiria para que os senadores não fossem a NY e sim participassem da sabatina que é muito mais importante para o Brasil. Mas FHC é vaidoso. Não abre a mão dos paparicos e também viu nesse evento uma ótima oportunidade para proteger seus três miquinhos amestrados. Os tucanos não honram suas atribuições como opositores e muito menos respeitam a população que colocou neles a esperança de mudança. De forma mais direta: Não prestam. Não passam de petralhas acanhados e com medo de sair do armário. Na realidade, os três patetas que estão indo para NY estão fugindo do enfrentamento.

Com Barroso o STF aprendeu o que é “determinismo sociológico” segundo Joaquim Barbosa ao distorcer o conceito de quadrilha que deveria imputar ao PT naquele julgamento o que é a realidade de fato. Com Fachin irão aprender o que é “problematizar princípios” na corte suprema e isso será a base de diversas decisões judiciais mirabolantes ao extremo e em nível recorde no STF. Dada a leviandade das respostas de Fachin nessa sabatina teatral montada no Senado em conluio com a desfaçatez de quase todos senadores; e dado ao contorcionismo retórico e jurídico de Fachin ora endossado pelos senadores petistas como Gleisi Hoffman e Humberto Costa dentre outros; resta evidente que o STF é hoje um domínio partidário do PT como a CUT e MST são e sempre serão. Sendo assim, os senadores apenas chancelam o domínio do PT sobre o último grau de jurisdição recursal do Poder Judiciário nacional, dotando-o de mais servo integral da política de balcão de negócios sujos e não da Justiça isenta, imparcial e sem suspeição.

O STF é refém do aparelhamento do Estado como qualquer instituição comandada pelo PT.  Álvaro Dias numa defesa acalorada de Fachin, ao ponto de taxar de boçais esquizofrênicos os que opuseram a Fachin nas redes sociais, ele assinou com essa declaração arrogante seu atestado de óbito político e recebeu o diploma  estelionatário eleitoral idêntico ao de Dilma. Resta inegável que o demente e esquizofrênico que não enxerga uma verdade sobre os fatos é o próprio senador tucano; e não os leigos em direito como grande parte do povo e Caiado.

Coube ao Senador Ronaldo Caiado impor questionamentos plausíveis e contrários ao suposto doutor e professor em Direito Luiz Edson Fachin, o qual, por sua vez, repete sempre o mesmo, ou seja, aquilo que qualquer jurista soviético já disse desde Pachukanis até o determinismo sociológico, principiológico de Barroso e outros operadores do Direito adestrados para distorcer direitos difusos e coletivos, garantias fundamentais constitucionais e toda sorte de enquadramento jurídico que não atendam os interesses da causa partidária e ideológica do socialismo do PT. Em suma: O PT hoje tornou o STF duma vez por todas no seu escritório público de advocacia, dos interesses de todos associados ao petismo na federação e contra os diretos de todo e qualquer cidadão que não se encaixa nesse esquadro.

Parabéns aos supra-sumos da inteligência jurídica deste país, que um dia acreditaram que o PT tinha aderido aos pilares básicos da Constituição Federal de 1988. Hoje ela está sendo rasgada e posta na lata do lixo com o consentimento de senadores e classe econômica de alto escalão; a saber banqueiros e empreiteiros, com aval de toda classe politica e social que compactuaram com o PT e toda classe de advogados omissos que ainda estão associados a OAB em seus respectivos estados agindo como meros office boys encartados contra um Estado que não é mais Democrático e nem de Direito!

“Ninguém respeita a Constituição e todos acreditam no futuro da nação”. Estamos diante da falência das instituições da Justiça brasileira, com o PT tentando melar a Lava Jato e com o STF nas mãos de mais um Pachukanis petista convicto que não nega a raça com pedigree de apadrinhado político e nem a grife de subserviente aos interesses palacianos e partidários do PT.

fachin

Anúncios

Renan Calheiros dá golpe anti-democrático no Senado com apoio do PT

Na sessão plenária de hoje, a Democracia foi aniquilada no Senado da República. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), conseguiu aprovar manobra que garantiu a seus aliados os cargos de comando da Casa. Com ajuda do PT, Renan colocou em prática uma operação costurada para deixar de fora dos postos PSDB e PSB, que fizeram oposição a sua reeleição.

Aliados do peemedebista reconhecem, nos bastidores, que o presidente da Casa quis medir forças com o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), que luta para se consolidar como líder da oposição na Casa. Ronaldo Caiado (DEM-GO) iniciou o questionamento sobre os cargos da Mesa Diretora e foi seguido pelos tucanos liderados por Aécio Neves e outros senadores do PSB e DEM os quais retiraram suas bancadas do plenário em sinal de protesto prometendo para Renan uma oposição nunca vista antes no Senado.
A troca de acusações entre os senadores Aécio Neves e Renan Calheiros ocorreu em meio a escolha dos cargos para a Mesa Diretora do Senado. O bate boca acalorado entre os dois senadores ocorreu logo após o tucano criticar suposta manobra arquitetada pelo alagoano para excluir o partido da Mesa Diretora.

Renan não contou com apoio dos tucanos na disputa realizada no último domingo, 1º, em que foi reeleito para o comando da Casa. Na ocasião, a bancada do PSDB apoiou o nome do senador Luiz Henrique (PMDB-SC), derrotado por Renan.O senador alagoano considerando que os tucanos romperam com o acordo da proporcionalidade, uma vez que tinha sido escolhido pela maioria da bancada do PMDB para a presidência do Senado.
O contragolpe de Renan veio na tarde de hoje com o apoio construído nos bastidores à candidatura de Vicentinho (PR-TO), lançado para disputar a primeira secretaria da Casa. O cargo pela proporcionalidade deveria ficar com o PSDB. No microfone, Aécio pediu para que Renan respeitasse a democracia interna que prevê que os cargos da Mesa seguissem a proporcionalidade das bancadas.

Na sequência os dois começaram o bate boca:

Aécio Neves: “Vossa Excelência será o presidente dos ilustres senadores que o apoiaram, mas Vossa Excelência perde a legitimidade para ser presidente do partido de oposição nesta Casa.”

Renan Calheiros: “Bom que isso esteja sendo dito por Vossa Excelência, candidato à Presidência da República e tem a dimensão do que é a democracia.”

Aécio Neves: “Vossa Excelência desrespeita a democracia.”

Renan Calheiros: “Veja em que conta coloca a democracia. Por isso, deu no que deu, Vossa Excelência perdeu a chance de ser presidente da Republica porque é estrela.”

Aécio Neves: “Perdi de cabeça erguida, olho nos olhos dos cidadãos, falo com a população brasileira e Vossa Excelência perdeu a dignidade desse cargo.”

Renan Calheiros: “Respeite a Mesa, respeita a mesa e tenha a dimensão da democracia.”

Apesar de ser tradição do Senado a divisão das vagas na Mesa Diretora de acordo com o tamanho das bancadas dos partidos, o grupo de Renan conseguiu aprovar indicações de partidos que apoiaram sua recondução do presidente do Senado. Sob fortes protestos da oposição, que acusou Renan de “tratorar” a escolha em favor de seus aliados e apequenar o Senado, as duas vice-presidências, quatro secretarias da Mesa Diretora e suas respectivas suplências serão ocupados pelo PT, PMDB, PP, PDT e PR.

Com exceção do PDT, todas as siglas apoiaram a candidatura de Renan para presidir o Senado.
Com a manobra, o PSDB e o PSB, que teriam direito a dois cargos, foram excluídos da Mesa Diretora. O PDT conquistou a vaga porque indicou o senador Zezé Perrella (MG) para a terceira secretaria, que é aliado de Renan –nenhum outro pedetista foi aceito pelo grupo do presidente do Senado.
Por ser a terceira maior bancada, o PSDB teria direito a indicar o primeiro-secretário, que comanda a espécie de “prefeitura do Senado, mas abriu mão de entrar na disputa depois que os aliados de Renan indicaram o senador Vicentinho Alves (PR-TO) para o cargo.

A articulação do peemedebista provocou um forte bate-boca com Aécio. Após as negativas de Renan aos apelos dos oposicionistas para reavaliar a situação, no microfone, Aécio cobrou o peemedebista. “Vossa excelência será o presidente dos ilustres senadores que o apoiaram, mas Vossa Excelência perde a legitimidade de ser presidente da oposição. Vossa Excelência apequena essa Presidência”, disparou o tucano. O tucano retrucou e indiretamente lembrou que o colega foi alvo das manifestações de rua de junho de 2013. “Perdi de cabeça erguida. Olho nos olhos do cidadão, eu falo com a população brasileira. Vossa excelência perdeu a dignidade desse cargo”, soltou.

Na sessão, Aécio teve o apoio dos líderes da oposição e do PSB, que fizeram acusações a Renan. “Isso é cretinismo parlamentar. O PSB foi o partido que ousou apresentar o nome daquele que concorreria com o senador Renan”, atacou Lídice da Mata (PSB-BA).

A escolha dos membros da Mesa ocorreu em reunião realizada na casa de Renan. Além do presidente do Senado, participaram da articulação os senadores Humberto Costa (PT-PE), Jorge Viana (PT-AC), Eunício Oliveira (PMDB-CE), José Pimentel (PT-CE), Romero Jucá (PMDB-RR) e Fernando Collor de Mello (PTB-AL). A chapa escolhida pelo grupo pró-Renan foi aprovada pela maioria do plenário do Senado. Sem reagir aos ataques, o peemedebista negou que tenha articulado a indicação de seus aliados para a Mesa Diretora. “Quem escreve a chapa não é o presidente, são os líderes”, justificou.
Daqui por diante esperamos que Aécio Neves seus aliados realmente façam um oposição como prometido por Ronaldo Caiado na tribuna. Os eleitores do PSDB, PSB e DEM devem cobrar sempre a postura aguerrida de seus representantes no Senado para cumprir essa promessa e dar sempre que possível o troco em Renan Calheiros e seus aliados do PT.

E tenho dito!

renan-e1414438296761

Pizzaria legislativa reabre os trabalhos sob nova e velha direção

Os parlamentares federais eleitos tomam posse neste domingo e depois daquele falso juramento de honrar e seguir a Constituição Federal as respectivas casas legislativas elegem seus presidentes, ou melhor dizendo, elegem o poderoso chefão da máfia parlamentar do Senado e Câmara dos Deputados. Sem dúvida a alusão com La Cosa Nostra é perfeitamente pertinente ante ao estado de calamidade ética e moral e criminal que encontram-se os nossos políticos.

Algumas vezes durante o ano assisto aos canais da TV Senado e TV Câmara numa espécie de sessão de auto flagelação impiedosa e acompanho o trabalho parlamentar com um sentimento de náusea e indignação. Quando algum parlamentar do PT, PSOL ou PC do B sobe a tribuna para fazer pronunciamentos e discursos meu estômago embrulha. Depois vem algum vendido ou alugado da base aliada ou elogiar falsamente o governo ou insultar e ameaçar o governo numa espécie de chantagem por mais jabá governista. Quando a oposição assume a palavra e fala algumas meias verdades sei que é hora de tomar um remédio para o estomago combalido pela ladainha socialista autoritária camuflada de republicana e democrática dos esquerdistas, pelo melodrama dos aliados e falácias dos opositores…

Constatar que o destino da democracia brasileira está sendo conduzido por eleitores e eleitos com ideologias políticas deturpadas da realidade me parte o coração.  O que me deixa ainda mais indignado além da falta de decoro e ética e falcatruas é sem dúvida a incompetência generalizada que toma conta das casas parlamentares que vivem num toma lá da cá visando atender interesses partidários e pessoais que passam longe ao interesse coletivo.  Quando a coisa parece obsoleta e totalmente arruinada ainda há chance de piorar ainda mais com o Deputado Jean Wyllys e Bolsonaro criando alardes nas tribunas parlamentares com suas picuinhas ideológicas mal-acabadas.

Hoje para estarrecer ainda mais esse cenário caótico a eleição para a presidência da Câmara e do Senado está digna de enredo de filme nacional sobre favelas dominadas por traficantes onde facções rivais de vilões tentam dominar o terreno fazendo alianças até com o capeta para comandar o morro, digo, Congresso…

Apesar desse cenário tenebroso e enfadonho, me resta uma pífia esperança remota que Eduardo Cunha vença Arlindo Chinaglia, digo, canalha; e depois faça o que é esperado dele: Que peça o impeachment de Dilma.  No Senado a coisa parece já definida: O chefão das Alagoas vencerá seu colega de partido rachado que não passa dum senador catarinese chinfrim sem volatilidade alguma para causar danos à eleição de Calheiros.

De fato, a capital do Brasil hoje está repleta de gangsters do colarinho branco com seus parentes, assessores, padrinhos e puxa sacos de todos os tipos e tamanhos. Enquanto isso, em Curitiba, aguarda-se que ao menos 10% de todos os deputados e senadores eleitos estejam em breve sendo denunciados pela Operação Lava Jato.

Diante disso, fica evidente que qualquer deputado ou senador que toma posse hoje é, portanto, um potencial alvo da Operação Lava Jato. Isso demonstra por si só que o parlamento brasileiro não possui a menor legitimidade moral e ética para representar a população. Além do mais, isso ainda se estende para o cargo da Presidente da República que seja, direta ou indiretamente, também está no poder se beneficiando dum esquema criminoso multipartidário.

Se o Brasil fosse realmente uma república democrática coerente haveria nesse momento uma série de denuncias na mídia com base na Lei da Ficha Limpa e em esquemas de acordos escusos identificando os parlamentares que poderiam ser cassados tanto por improbidades eleitorais como infrações criminais. O mandato de muitos estaria sendo colocado em xeque para o bem da própria população que está sendo representada cada vez mais por quadrilhas de aproveitadores e delatores quando as coisas são descobertas.  Desse tipo de classe política ora presente e reinantes no Congresso Nacional e no Palácio do Planalto só se pode esperar traição aos princípios republicanos e democráticos, além dos costumeiros casos de corrupção e inobservância de regras legislativas, as quais eles mesmos criam e recriam para se safar.

Certamente mais do que nunca o país está rachado ao meio no campo público e privado. Metade dele – a metade podre pública – está em Brasília. A outra metade, também podre e privada já está em Curitiba na carceragem da Polícia Federal aguardando a sua cara metade. Isso se, não sair do forno do Congresso Nacional uma mezzo impunidade mezzo vista grossa.

Roberto Requião – O ditador comedor de mamonas

Roberto Requião foi no passado sombrio chefe do executivo estadual, mais conhecido na época do seu mandato como Capitania Hereditária do Paraná. Naquela época ele se achava o Imperador do Sul, protótipo de  aspirante a Ditador do Brasil.

No PMDB desde criancinha, Requião é conhecido pela camisa jeans e bochecha gorda, além do seu suave temperamento que gerou o carinhoso apelido de “Maria Louca“.  Seu maior ato político foi apoiar Lula nas eleições de 2002. Em 2006 voltou a arrotar apoio incondicional ao PT. Embora nunca tenha mudado de partido, ele é militante ativo do PT. Hoje mesmo no seu pronunciamento na tribuna Senado, depois de louvar os conselhos populares e exigir mais democracia direta para o povo se manifestar politicamente, ele mesmo, com tom autoritário mandou a galeria que vaiava ele a Senadora do Petrolão Gleisi Hoffmann calar-se e ameaçou mandar prender os mesmos num ato de autoritarismo típico de sua figura. Dizia ele que a Casa do Povo não é circo, mas ficou evidente que ele é palhaço e fantoche do PT como se fosse um boneco de posto de gasolina. Gasolina que hoje custa mais caro depois da reeleição da grande mãe Dilma Chavez Youssef que tá madura para o seu segundo mandato.

Requião o grande palhaço e proxeneta do Paraná, também é pai, pois tem a maior família do Paraná e é um patriarca bastante generoso. Hoje muitos dos familiares dele trabalham como funcionários públicos em cargos de confiança, pois segundo apontam os cientistas políticos sua prole possui o notável saber que emana dos super-genes da família Requião, o que os qualifica para os cargos devido ao QI elevado do papai Requião.

Antropologicamente a família Requião atual resulta do cruzamento de várias espécies da elite da província do leite quente. É daí que vem a ideia de que ser um Requião é ter “notável saber”.

Que tipo de saber? Não importa. O porto de Paranaguá, por exemplo, foi entregue ao irmão de Requião cujo “notável saber” se resume à psicologia.  Dizem as más línguas que Requião fica chateado por ter na família um psicólogo capaz de constatar empiricamente que ele tem Transtorno Obsessivo Compulsivo, Transtorno Bipolar, Hiperatividade, Esquizofrenia (vê opositores imaginários), Transtorno de Personalidade Borderline, Síndrome de Down e propensão ao cheiramento de gatinhos.

Roberto Requião é famoso ainda por ser o único político brasileiro a realizar um atentado contra si mesmo. Requião pegou um punhado de mamonas e enfiou na boca, ameaçando engolir as sementes e, com elas, as tóxinas.   Na época foi advertido por Lula de que as mamonas eram tóxicas e apesar da advertência, Requião estava disposto a engolir tudo, argumentando que a morte dele representaria uma renovação na política paranaense. No final ele acabou sendo convencido por Lula a cuspir e sobreviver, infelizmente.  Aliás, a tática de “cuspir e sobreviver”, é a preferida de Requião que garante cuspir apenas “nos poderosos” embora ninguém saiba quem é mais poderoso no Paraná que o ex-dono da capitania hereditária que foi derrotado nessas eleições de 2014 ao governo do estado.

400px-Mamona_ou_alfafa

Requião ainda é notoriamente conhecido por outros usos e costumes convencionais à sua pessoa autocrítica que sempre elogia a si mesmo e atenta contra quem não é adepto de sua filosofia política autoritária. Eis uma breve lista de fatos da sua carreira política tão intensa e prolífica:

 

O jornalista de quatro dedos: Requião tentou arrancar o dedo de um jornalista que divergia ideologicamente dele e do presidente Lula. Na ocasião Requião afirmou que, com um dedo a menos, o jornalista entenderia melhor o presidente.

 

O nepotismo esclarecido: Requião cunhou o termo, hoje usado mundialmente por políticos que querem empregar seus parentes.

 

A camisa jeans: Antes de querer ser político, Requião queria ser desenho animado e usar sempre a mesma roupa. Optou pela camisa jeans e deu uma grande contribuição para a moda, provando que o jeans serve mesmo para todas as ocasiões (inclusive para correr no parque).

 

A Festa Anal: Certa vez, em uma pregação no interior, o grande mestre Requião disse “Enfie a faixa no rabo!”. Requião percebeu que não seria obedecido e, por isso, tomou a dianteira, inserindo o instrumento de protesto em seu reto governamental. O exemplo do grande estadista foi seguido pelos 350 agricultores presentes no recinto. Depois disso beberam, dançaram e foram felizes durante o evento que ficaria mundialmente conhecido como “A Festa Anal”.

A filha: Mesmo com todo o resPEITO que devemos ter ao grande proprietário da Capitania Hereditária do Paranã, é necessário dizer que nada do que ele fez no governo ou no senado se compara a grande obra que é sua filha, Roberta Requião.

Conselhos Universitários: Em um dia muito bonito no Campus da UEM em Umuarama, diante da presença do Governador do Estado RobertoRei Queijão Requião, os estudantes resolveram fazer uma pacífica manifestação por causa das péssimas condições que se encontravam as estradas de acesso a universidade, salas de aula sem iluminação e a falta de professores. O então governador com toda sua sutileza e simpatia que tem por estudantes (principalmente os da UEM) olhou para eles e disse essas palavras de amor: “Seu bando de jardineiros “cabeças oucas” (os estudantes eram de Agronomia e Veterinária) vocês não tem vergonha na cara, não sei como tem coragem de fazer protestos, estudam em uma universidade pública como a UEL (Na verdade era a UEM, mas ele se esqueceu e também esqueceu que só é publica porque pagamos impostos), onde não pagam um centavo sequer, e se dão no direito de fazer um protesto sem fundamento e sem razão só pra aparecer na TV, criem vergonha na cara!”.

Depois de toda essa emoção e comoção, tanto dos estudantes como do próprio Governador,
regressou ao seu discurso de Ditador político e esqueceu dos mínimos problemas da Universidade.

Requião ainda é reConhecido por ter postura extremamente concisa, coerente, coordenada e outros co’s, uma equipe depsiquiatras sociólogos contratada pelo CAPS-PR está avaliando as posições políticas e sexuais deste líder, que não parecem ser de esquerda, direita ou centro, mas um 69, sendo que a pesquisa até agora não rendeu resultados frutíferos.

Quem tem boca vaia a Dilma

 

Com tanta coisa mais importante para fazer o Senado discute em regime de urgência o projeto de lei, de autoria da madame senadora Gleisi Hoffman, do PT, que proíbe vaias nos estádios durante a copa do mundo. Segundo a autora da proposta: “o objetivo é evitar que a chefe do poder executivo sofra constrangimento diante de todo o planeta durante o evento”.

Ô dó né?

Segundo a senadora: “caso aprovada a proposta, quem for flagrado vaiando poderá perder o Bolsa Família e pegar de 20 a 50 anos de cadeia”. Isso porque a Constituição permite que o sujeito fique apenas 30 anos da cadeia, e isso ainda por cima depois do devido processo legal levando em conta a presunção de inocência até a condenação.

Confesso que a única coisa salutar do projeto lei é o fato da possibilidade, mesmo que remota, de perder o Bolsa Família devido a um ato de liberdade de expressão. Quando um beneficiário do Bolsa Família reclama que o din-din é pouco em off, quiçá lá no assossego de seu lar, digo, do Minha Casa Minha Vida, nada acontece com o vagabundo, melhor dizendo, pobre coitado, melhor dizendo ainda, do eleitor da Dilma.

Agora projeto de lei bão pacas mesmo seria o de legalizar a corrupção. Não acham?

No Brasil corrupção é costume, e como os costumes são fontes do direito está na hora do Brasil legalizar a corrupção e criar duma vez por todas a atividade laboral do corrupto com carteira assinada.

O movimento de legalização da corrupção é legítimo, pois manter uma forma de agir corriqueira em todo território nacional ainda ilegal é sem sombra de dúvida um pensamento retrógrado e garantista da impunidade. Com a legalização de todo processo de corrupção, seja na esfera pública ou privada, as entidades poderiam criar um órgão fiscalizador que poderia se denominar Ordem dos Corruptos do Brasil e duma vez por todas moralizar a política brasileira e outros setores como o Judiciário, burocracia e na CBF dentre outros setores.

Desde a era colonial brasileira é sabido que a corrupção torna os serviços à comunidade menos eficientes. Com a legalização da corrupção não haveria mudança nesses quadros de eficiência, mas ao menos estimularia os governantes e sociedade civil a buscar outros métodos de desenvolvimento social sem perda de tempo com debates inúteis sobre casos de corrupção que atolam a mídia nacional sempre com os mesmos escândalos e sempre sem solução.

Tá bom sei que exagerei nessa, mas essa da dona Gleisi é pior ainda porque é real!

Mandar prender 50 anos um cidadão, dentro dum estádio, sendo ou não este beneficiário do Bolsa Família é querer capar de vez a liberdade de expressão e implantar a censura do cala a boca povão na maior cara de pau digna de aplausos por qualquer general linha dura do finado regime militar!

Acho que muito técnico de futebol vai se sentir menosprezado com isso, até porque eles são chamados de burros e incompetentes pela própria torcida e não tem lei que impeça isso! Tadinhos vão precisar de cotas para serem beneficados com alguma lei!