Arquivo mensal: julho 2011

Memórias de um bebum…

Já ouvi falar que o pior porre que se tem notícia é de “vinho”. Sabe aquela coisa bem doce, cheia de corantes e com nome do liquido e cheio de hemáceas do esposo da dona vaca? Aquilo nem vinho é, por isso mesmo deve ser a pior ressaca etílica, porque no que diz respeito a outros inconvenientes ressacantes de uma noitada impensada, a mulher cachaça é disparado o primeiro lugar.

São duas e meia de um “sábado-pra-domingo” qualquer, o Happy Hour já virou “Oh Happy Day” e você sente, no fundo da sua existência, uma necessidade inexplicável de não voltar pra casa e dormir, afinal, é sábado à noite, ficar em casa é coisa de forever alone e você, que não vai deixar as pessoas pensarem isso de sua pessoa, quer planejar o resto da noite, mesmo sabendo que falar de você mesmo na terceira pessoa é um sinal forte de embriaguez.

Sejamos francos: você já está naquele barzinho à horas e não bebe só porque nunca fez amigos bebendo leite, você bebe para que as outras pessoas fiquem mais interessantes. E é agora que essa teoria começar a mostrar força.

No fundo do bar aparece, como num passe de mágica, aquela garota que, você sabe, ela sempre esteve ali, mas era a sua vista que não a enxergava. Não que ela fosse feia, mas você ainda não estava apto pra vê lá. Com certeza é alguma variação menor e mais discreta do seu destino recente.

Ela percebe o seu olhar e não desvia por 1 segundo, por 2, por 5 e quando você se deu conta já deu aquele sinal sem nome de quando você levanta e copo e dá leve abaixadinha na cabeça, demonstrando uma estranha disposição de conversar, e isso acontece logo.

Vamos resumir o que acontece nas próximas cenas: bebeu, conversou, bebeu, conversou ao pé do ouvido, bebeu, beijou, bebeu, agarrou, bebeu, falou-que-estava-de-carro-e-dava-carona, terminou a última saideira, conta, rua, caminho-maluco-até-a-casa-dela, amasso no carro.

Durante o amasso no carro rola aquele comentário dela que “homem é tudo igual” e você, sempre você, que tem um fraco por causas perdidas, quer provar que não é um animal insensível e bruto que usa as mulheres, então você poe uma música lenta, permite que ela fale dela, pergunte sobre você, diga o achou dos dois, dá e ganha uns beijos no pescoço e passa o seu telefone pra ela. Mais ainda: diz pra ela ligar porque pedir o telefone dela um homem qualquer pediria e ela te diz que se você é um homem especial merece um presente de despedida especial.

Sem ter certeza de como e quando chegou, você acorda na sua cama às duas e meia da tarde, com uma sede de quem ficou 2 dias no deserto e uma dor de cabeça que faz a cartela de paracetamol ser comida tal qual Sucrilhos.

O celular pisca vermelho com pouca bateria e duas mensagens de um número esperadamente desconhecido. A primeira diz que ela adorou a noite, que o seu beijo tem gosto de quero mais e que alguns ginastas olímpicos não conseguem se mexer tanto num banco de trás. Essa mensagem faz o seu ego quase ultrapassar a extratosfera, afinal, mesmo sem se lembrar você cumpriu o seu papel de homem e, além disso, deve ter sentido algum prazer também. A segunda mensagem fala de como ela gostou da sua reação tranquila e até fofa quando a camisinha estourou.

A recepção, o entendimento dessa mensagem fez com que o seu sistema límbico mandasse uma mensagem complexa, quase alienígena, mas ao mesmo tempo tão simples que a definição de tudo aquilo saiu pela boca em uma palavra: FODEU!

Anúncios

Isso sim é som no carro!

Quando a inteligência supera a força física

Marcha ré!

Por Carlos Vereza

O país das “marchas…”, da Maconha…das Mulheres vadias…Parada Gay, e não ocorre a ninguém organizar a marcha contra a corrupção; a marcha pelo ensino básico; pela abertura dos documentos sigilosos; por uma acareação entre Mercadante, Ideli Salvati, e o funcionário que participou da reunião com os dois para a “elaboração” de um dossiê falso contra José Serra!

Uma cortina de mentiras ocupa o poder. O marketing de um país de “todos” devora verbas inacreditáveis numa esquizofrenia que se reflete nos juros mais altos do planeta, em obras sem licitação, tráfico de influência, e a previsivel repetição de escândalos semanais!

E os mafiosos, Dirceu, Franklin Martins, e Lula, principalmente, “orientando” o biombo- Dilma, completamente atônita, sem saber que rumo imprimir a um governo à deriva!

Nenhum projeto a não ser o da permanência indefinida no poder! A luta antropofágica da “base aliada” por cargos, o “fogo amigo do PT” minando o que possa restar de autoridade da Dilma, que não é nenhuma “vitima”, pois todo o esquema era de seu conhecimento!

Criou-se a burguesia sindical sem obrigações de prestar contas de seus gastos: a verdadeira elite que conta com a total cumplicidade de Lula, mais preocupado com suas “palestras”, não por coincidência, com empresas que têm relações mais que “amistosas” com o governo!

Em pouco teremos a marcha final: a da insolvência do Brasil!

Cigarros Camel never more!

Hoje como habitualmente fui comprar cigarros, e quando pedi uma caixa de Camel a balconista disse:

Camel saiu de linha!

Oh my God holy fuck! (eu exclamei)

Camel já era … sentirei saudades desse camelinho simpático e de tragar um dos melhores cigarros de todos os tempos!