Arquivo mensal: setembro 2014

Like a rolling stone na zona eleitoral

Nessas eleições pretendo inovar e finalmente manifestar todo meu glamour e notoriedade nas eleições. Se não for preso antes disso é claro. Pretendo xingar toda essa gente fedorenta que faz boca de urna… Essa gente sub-humana de subúrbios sem água e esgoto que fica abanando bandeiras nas calçadas… Essa gentalha feia e estúpida e burra que vendeu a alma por sanduíches de mortadela. Sim! Populacho ignóbil, fraudulento e flatulento que apóia políticos demagogos de toda sorte… Essa gente eu quero bem longe de mim! A cidade está repleta de lixo por causa desses maníacos narco-vagabundos, ralé mentecapta teleguiada e usurpadores dos bons modos da civilização.

Pretendo comparecer para manifestar o meu voto trajado dum terno verde ao estilo da moda Falcão dos idos anos 90 com uma gravata amarela e sapatos Vulcabrás 752, se ainda existem me mandem um número 44, pois quero pisar firme como o Leonel Brizola.

Chegarei me movendo como Mick Jagger até o mesário e farei uma prece budista antes de digitar os meus votos. Depois disso sairei em disparada para a violação da lei seca eleitoral no meu apartamento onde darei uma festa regada a champanhe e substâncias apreciadas por um dos candidatos a presidência da república.

Se houver segundo turno, refaço a estripulia novamente e mando um moonwalker na zona eleitoral, pois de zona e andar pra trás é o que esse país mais tem na política.

O passado auto-explicativo do presente do BJ

João Xavier Burns nasceu em Springfield, filho ilegítimo de Montgomery Burns não pode aproveitar da  riqueza do pai que apenas o reconheceu trocentos anos depois. Da mãe de BJ só se sabe que ela fugiu para América do Sul e enviou ele para um orfanato brasileiro depois de desmamá-lo na garapa.

Assim BJ Xavier passou sua infância sofrendo bulliyng no orfanato e isso atualmente ainda se reflete no seu caráter agressivo e maníaco depressivo. Aos dez anos de idade BJ fugiu do orfanato e passou morar na rua, sobrevivendo numa região fodida do Brasil durante a época do segundo mandato (ditadura) de Vargas.

Por causa dos ataques de insânia e alucinações que tinha na rua BJ era sempre recolhido pela carrocinha e dormia com os caninos raivosos com os quais aprendeu a estranha arte do “argumentum ad canem” a qual é sua marca registrada nos debates.

Depois de inúmeras passagens pelo canil e também pelas instituições psiquiátricas brasileira onde conheceu segundo ele próprio Napoleão Bonaparte, BJ passou a morar na floresta amazônica e desenvolveu uma conduta de Highlander das selvas passando a treinar lutas com uma taquara de bambu.

Passou anos felizes na floresta sem ninguém o contrariar, levava sua vida “sussegada” numa gruta e passava seus dias conversando com pedras, árvores e qualquer animal silvestre com o qual tivesse contato em especial micos leão dourados e botos rosa. Sobrevivia a base gafanhotos e mel os quais retirava dos favos e por isso foi chamado de João Batista Xavier quando foi capturado pelo exército numa expedição nessa parte recôndita da floresta chamada de Matagal do João Louco.

No exército BJ passou a ser domesticado devido seus comandantes verem nele um futuro promissor na tortura devido a agressividade nata do rapaz. Fez carreira durante os anos de chumbo e com redemocratização foi expulso do exército e voltou a morar na rua. Dessa vez Bj estava na grande São Paulo e sobrevivia a base de pequenos favores sexuais que fazia para caminhoneiros nas marginais da cidade.

Com o passar dos anos BJ passou a tomar gosto por atividades culturais e aprendeu a ler no curso mobral e depois de ler Dom Quixote voltou a praticar seus dotes de cavaleiro medieval nas ruas de São Paulo em grupos circenses amadores como palhaço.

Devido o acesso dos analfalulas a internet no começo desse século em lan houses BJ passou a freqüentar redes sociais onde passou a ser figurinha carimbada em grupos de debates no qual se tornou famoso por suas trollagens e picuinhas.

Atualmente BJ recebe bolsa família e vive em algum recanto da capital paulista sem fazer nada além de tomar medicamentos para ansiedade e depressão e debater assuntos sem relevância nas redes-sociais.

camisa-de-for-Ca

BJ Xavier com seu modelito habitual