Arquivos do Blog

Eleições 2018: Corruptos x Demagogos

A modinha da “Olavo tem razão” disseminada por gente tapada e emburrecida é feita negando a realidade. Esse tipo de pessoa é tão fanático quanto qualquer comunista marxista castiço por falta de leitura e uso decente do raciocínio lógico. Esse tipo de convicção subserviente a figura de um pseudo-intelectual ou determinado político criou uma cadeia de pessoas idiotizadas por esses charlatões da imprensa e militância de grupos como MBL da mesma foma que o PT conseguiu se infiltrar nas universidades e usar movimentos sociais em favor do fanatismo lulopetista. Hoje isso se atesta ao vermos apoio irrestrito e histérico aos políticos da laia do Dória e Bolsonaro.
 
Ultimamente tenho visto, a empolgação inclusive, liberais e pasmem, até libertários dando apoio a candidatura de Jair Bolsonaro a presidência da republica em 2018. De maneira cega, indivíduos vem sendo facilmente seduzidos por fotos do Bolsonaro tiradas com livros de autores liberais clássicos nas mãos do seu ídolo. Essa é a mesma lógica que leva muitos a crerem que se Dória comeu um pastel da feira sem fazer careta é porque ele ama os pobres. Nada mais risível que crer nisso piamente.
 
A retórica empobrecida de conceitos bem alinhavados e muita das vezes circenses faz com que Bolsonaro trate soluções econômicas do território em que vivemos de maneira profunda como um pires e isto de fato chega a assustar, pois liberais e libertários são famosos por dominar com tamanha maestria a teoria econômica e explicam como poucos o quão ineficiente é o estado planejando de maneira central a alocação de recursos, porém por algum motivo irracional resolveram fazer aliança com político milico conservador que até pouco tempo atrás tinha ideias nacionalistas ultra protecionistas irredutíveis.
 
Mudar de discurso e dizer aceitar conceitos liberais ao ponto de se tornar um político mais palatável economicamente é uma farsa já conhecida na cena eleitoral brasileira. Duda Mendonça colou em Lula esse adesivo do “economicamente viável” e fez banqueiros e empresários aceitarem ele na campanha eleitoral de 2002. Isso fez que até eleitores da classe média, que enxergavam Lula como um sindicalista selvagem comunista e ignorante iletrado ganhasse votos devido essa repentina mudança de formato, mas não de conteúdo. O mesmo estão fazendo agota com Bolsonaro. Quiçá até com Dória, que se fosse profundamente liberal não teria se filiado a um partido social-democrata fabiano.
Esses sujeitos querem fama e poder. Como existe um bando de pessoas manipuláveis em todas as camadas sociais, até mesmo as mais instruídas da sociedade, as quais se julgam acima de qualquer espécie de doutrinação ou afetação midiática por terem um diploma ou uma vasta aversão a corrupção, esses são os primeiros a serem iludidos por confiarem cegamente em seus dotes morais e convicções políticas.
Os bolsonaristas mais ferozes e inconsequentes são estupidamente por tabela trumpistas e apoiadores de Marine Le Pen, sem saber que Le Pen não fará nada para mudar a lei de aborto francesa que vigora desde 1975 no país. Além do mais,  Le Pen para obter votos úteis nas urnas não se coloca contra o casamento gay. Essas duas agendas caras para os moralistas conservadores fãs de Bolsonaro não estão na ordem do dia de Marine Le Pen. Mesmo assim os famigerados bolsominions apoiam Marine Le Pen, achando que ela seja a versão do Trump de saias na Europa, e por consequência uma direitista estilo Bolsonaro à moda escargot.
Vamos ver como os bolsomicos lidam com isso: Marine Le Pen defende a legislação de aborto,  também é pró-casamento gay, mas usa a bandeira anti-imigração para se firmar como garota propaganda da direita que defende valores da família e moral cristã? Nada disso, ela desonesta intelectual como seu eleitorado. O único candidato conservador de fato é François Fillon e não Le Pen. Mas como os adoradores do Bolsomico não sabem ler em francês muito menos em inglês eles ficam idolatrando Marine Le Pen e Trump negando muitas coisas reais como se fossem “fake news”. Mas aqui está o resumo de tudo isso em bom vernáculo pátrio.
Quando FBI manda Trump baixar a bola depois de acusar Obama falsamente por tê-lo grampeado, ou quando a justiça americana derruba as ordens executivas contra imigração e entrada de muçulmanos no EUA os bolsominions brasucas se enfurecem como se aquilo fosse uma afronta pessoal aos mesmos. Isso demonstra o grau de imaturidade intelectual e leviandade moral dos mesmos.
Trump parece ser uma cópia de Bush, mas os brasileiros se esquecem de muita coisa por terem memória curta demais. Lembram de quando o Bush aumentou o orçamento das forças armadas para invadir o Iraque e Afeganistão? Lembram que uma das metas dele era também tornar a imigração mais rígida? Lembram que Bush quis mexer no seguro social e sistema de saúde também? Lembram que Bush quis fazer uma economia voltada ao mercado interno com investimento em infraestrutura só criou recessão e uma série de bolhas especulativas no mercado imobiliário? Será que Trump está copiando ele? Eu acho que sim!
Trump à exemplo de Bolsonaro, são dois sujeitos desagradáveis e egocêntricos narcisistas. Trump finge que fala para o trabalhador assalariado do EUA, mas no fundo fala em nome do capital especulativo de Wall Street. Quando Wall Street se contenta com o presidente que atende seus interesses é porque o trabalhador está prestes a pagar a conta. Logo essa conta irá chegar e daí veremos Trump repetir os fiascos de Bush no setor econômico com o mesmo requinte de impopularidade depois de altos índices de confiança e popularidade.
Ao menos no Brasil, Bolsonaro não convence nenhum banqueiro ou grandes grupos investidores, portanto, a retórica dita liberal do mesmo é nula totalmente. Quem não rasga dinheiro sabe que Bolsonaro é uma nulidade em matéria econômica e um mero esbravejador de tolerância zero quanto a tudo que está errado no país da maracutaia.
Bolsonaro segue a cartilha do Afanásio Jazadji ao bater regalias aos bandidos, falta de pulso no combate ao crime, assim como segue a mesma linha de Luiz Carlos Alborgheti se dizendo a favor dos valores da família, sendo anti-maconheiros, anti-PT e mais uma vez contra o crime organizado. Esses políticos sobrevivem de pirotecnia na mídia e pouco fizeram em suas atuações como parlamentares para mudar o panorama crítico da criminalidade e afronta aos cidadãos de bem.
Está no hora do eleitor repensar em como tornar seu voto uma arma útil nas urnas contra o sistema, que de um lado tem corruptos rabos presos e do outro demagogos exaltados que não tem a menor ideia do que seja administrar um país assim como foi o caso de Dilma.

Os petistas estão em plena pré-campanha aberta pela candidatura de Lula, porque acham que assim a Justiça ficará intimidada de prendê-lo. A senadora narizinho é a mais empolgada na campanha de Lula 2018. Faz mesmo todo sentido: uma bi-ré liderando a candidatura de um penta-réu para desviar o foco. Entraram nessa peça de propaganda os “intelectuais da esquerda” que são nada mais que as viúvas da Lei Rouanet.

Quando os figurões da Odebrecht começarem a entregar não apenas todas as falcatruas eleitorais do PT, mas também as do PMDB e PSDB, como já estão fazendo, é que começaremos a ver a classe política e imprensa vendida falar ainda mais de 2018 com o discurso que políticos estão sendo caluniados e difamados em ações judiciais descabidas. Irão bater na tecla que “precisamos fazer uma transição para um novo governo que tenha meios de tirar o país da crise”. Logicamente irão tentar afundar a Lava Jato de alguma forma também.

Reinaldo Azevedo já começou a fazer isso, pois afoito como está em ser o Franklin Martins tucano, ele já se desespera com a possibilidade de Alckmin ancorado na popularidade histérica do Dória conseguir algo no PSDB desbancando o idolatrado Aécio, o qual já está sendo alvo de depoimentos dos delatores da Odebrecht. Rodrigo Constantino já se tornou o adestrador pseudo-liberal do Bolsonaro e Marina Silva conta com almofadinhas da imprensa descontentes com o PT. A imprensa irá mentir e acobertar seus patrões como faz em todo ano eleitoral. Essa folia já começou na Folha de São Paulo, Jovem Pan e Veja antecipadamente.

No final, todos os partidos e caciques irão se unir e tentar voltar ao status quo antes da era Lula, onde aquele malufismo genérico imperava e tinha todos os meios de operar em paz com a vista grossa da imprensa servil.

2018 será um calvário!
bolsonaro
Anúncios

Esquerda vs Direita = Caos social

É grotesco o grau da esquizofrenia – eufemismo para parcialidade populista – que toma conta das redes sociais através de certos militantes da esquerda arcaica, com mentalidade deformada, os quais se manifestam babando extremismo. Sou obrigado a mais uma vez colocar na linha de fogo lulopetistas que também no fundo são chavistas e sujeitos infiltrados em movimentos como a Via Campesina, MST e com ligações estreitas com todo menu ideológico do PSOL linha auxiliar do PT e PC do B.
Apesar de estar convicto que na direta existem pessoas tão estafermas e mal intencionadas, a saber; coxinhas incultos, reaças militaristas adeptos da lobotomia olavista, bolsonarismo, felicianismo e até do cunhismo maquiavélico, isso não altera um milímetro a falta de ética e perfil anti-democrático dos militantes de esquerda. Esses dois  mundos são refratários das duas faces da mesma moeda do extremismo e intolerância social e política. São pessoas que engrossam as fileiras do caos social brasileiro e agem em sintonia para desvirtuar qualquer mudança positiva que possa haver no Brasil no meio desse cenário de incongruências e corrupção.
Ontem o 30 de Maio na Venezuela deu uma grande lição aos militantes brasileiros, pois oposição se faz de forma séria e honesta e não com pieguices conceituais de filósofos que são astrólogos e cantores que são oportunistas ou líderes políticos que detém planos de poder a curto, médio e longo prazo. Os brasileiros eivados de ignorância cultural e política se entregam para esses crápulas políticos suas mais nobres convicções para que os mesmos as transformem em extremismo e futilidades contraproducentes para causas realmente nobres.

Os portais de notícia nacionais trabalham a favor da desinformação, exemplo clássico disso são os jornais, sites, emissoras e revistas pertencentes ao Grupo Globo, onde informar é a arte de ocultar e transgredir a verdade dos fatos na sua raiz e decorá-la com falsas concepções da verdade. Exemplo disso são as notícias que um dia apontam para uma história e no outro dão motivos para que essa mesma história tenha inúmeras versões diversas em toda mídia as quais não fecham com o noticiado pela imprensa global e nem com a imprensa chapa branca sem pedigree.

As pessoas, ora enganadas e crentes em certas correntes de direita tanto quanto de esquerda, em grande parte dos casos consomem reportagens políticas e econômicas direcionadas que limitam-se a insinuar que o fato noticiado foi uma consequência de uma disputa entre facções rivais dos conservadores da direita em face dos mais progressistas da esquerda no contexto político e social nacional e vice-versa. O controle dos pontos de vista sociais dessa forma é antagonizado para criar um cenário perfeito para o divide et impera. Desde assuntos como liberação da venda de drogas até aborto a disputa se acirra a cada dia que passa, mas quem perde com isso são as pessoas quem vivem no meio do fogo cruzado e bombardeio ideológico no sense eivado de más intenções e extremismo vil.

A visão a olho nu desse lapso mental do brasileiro mediano que é absorvido por essa jogatina de conceitos e informações é notória. Isso está sendo refletido na forma pelas quais cada dia mais as pessoas rechaçam a política tradicional como forma de compilar e atender seus interesses cívicos e direitos difusos deixando o campo político à mercê de fanáticos que sobrevivem alimentados por factoides. Em matéria de debates sobre costumes e direitos da família, a guerra agressiva de intolerância se instala entre essas pessoas, prós e contras baseiam-se em depoimentos de fontes que só preconizam a disputa retórica e nenhum argumento que gere bom senso e direção saudável para essas pautas. Nesse ringue de idéias é onde vemos integralizar-se um desses caos sociais do nosso tempo: a intolerância.

Os diversos textos de blogs, hangouts, tuitadas que circulam na internet expressam conteúdos e relatos passageiros sem profundidade sobre questões sociais, políticas e econômicas em grande parcela dos conteúdos observáveis e mais acessíveis. Pesam mais ainda nas pautas de debates os ataques proferidos por sub-celebridades e militantes incautos que discorrem sobre política com espaço na mídia, os quais se valem dessa exposição e seguidores para se tornarem porta vozes duma massa corrompida pela desinformação. Compreensivelmente muitas pessoas de bom senso e que filtram informação e conceitos estão assustadas com esse cenário de repetição à exaustão de argumentos falidos e teses capengas sobre política e sociedade. As pessoas que realmente pensam e debatem no Brasil estão à margem da pauta de debates em nossa sociedade, pois o patrulhamento ideológico é patente seja na esquerda ou na direita. Pensar independente dessas raízes ideológicas é heresia e logo é rechaçado pelos grupos tribais que exalam intolerância primitiva e anti-civilizatória.
Vemos hoje me dia a osmose do caos com vereadores e prefeitos despreparados conduzindo os assuntos públicos repetindo os mesmos erros de conduta da presidente também despreparada, governadores, deputados e senadores oportunistas que dão um toque ainda mais dramático para nossa situação de falta de consciência política e ética. Para comover os eleitores grande parte dos políticos age como vendedores de propostas que levam o eleitor a crer que eles são pessoas que irão realizar grandes feitos, quando na verdade estão interessados em realizar caixa dois, desvios para seus patrocinadores eleitorais e manter grupos de interesses sugando as entidades públicas de administração.

Isto nada mais é do que reflexo do brasileiro que vota mal, que entende pessimamente de conceitos políticos dos mais simples e desconhece os mais complexos totalmente. Uma nação com esse nível decrépito de entendimento e embasamento político e social tende a ser massa de manobra do populismo e demagogia por prazo indeterminado. Em face desta realidade obtusa e cruel cabe a nós cidadãos refletir constantemente sobre aquilo que estamos aderindo em matéria de filosofia política; e quais pontos de vistas estamos defendendo ou endossando com conhecimento da profundidade de suas raízes teóricas e práticas. Caso contrário a turba organizada, os pelegos seguidores de caudilhos e extremistas eufóricos em breve estarão dando as cartas em todos os recantos do país, estarão cerceado nossa liberdade de expressão e de opção de quais caminhos queremos trilhar, qual legado podemo  deixar para as próximas gerações.
Complementando, o movimento liberal está para o libertarianismo como o movimento socialista está para o comunismo. Mesmo que como ideais filosóficos racionalmente cativantes, são impraticáveis na vida real. Ironicamente o liberalismo é a forma utilitária de se trabalhar o cenário sem tantos fanáticos dando palpites em causas sérias e necessárias para o desenvolvimento social, econômico e político deste Brasil; um Brasil que se vendeu ao populismo e extremismo radical de diversas fontes.

“Desconfio muito dos veementes. Via de regra, o sujeito que esbraveja está a um milímetro do erro e da obtusidade”. Nelson Rodrigues

img_0060