A fobia da castidade

Determinadas coisas não convencem…

No meu post fiz referência a um caro amigo facebokiano, o qual manterei seu anonimato, mas não sem antes exaltar a sua pessoa barbada de olhos claros e hábitos refinados na conduta intelectual e moral o que é de fato louvável; apesar dele mesmo ser dado a certas imoralidades de toda sorte na minha opinião pessoal, a qual por sua vez também não vincula ninguém que pense o mesmo embora não diga isso na faceta barbada do mesmo, mas confesse isso às costas do mesmo. Ao menos com isso creio ser honesto e mantenho-me fiel à minha tradicional mania de dizer certas coisas na cara do dito cujo, mesmo correndo o risco de ser pessimamente interpretado.

Creio que a carapuça dada ao mesmo tenha servido como uma luva, ou até mesmo preservativo não totalmente desenrolado, devido ter sido tecida e desenrolada na medida correta para o bom rapaz, o qual nutro apreço pela sua pessoa embora duvidem disso. Eis a veste que o rapazola vestiu sem reclamar ajustes seja nos colarinhos ou nas mangas: “(…) ainda há mais um que merece tamanho destaque por sua aptidão para o vitimismo. O sujeito ora em análise é aquele que segue a filosofia do “Tem buraco tô dentro!”. Sim meus caros é o predador sexual supremo. Diria Luiz Carlos Aborghetti, antropólogo e psicanalista sexual que o indivíduo é resumidamente um indivíduo dessa classe: “Geme igual uma menininha quando tá com homem e geme igual homem quando tá com mulher”. Este que não têm quaisquer restrições de qualquer espécie em termos de sexualidade, entorpecentes e derivados etílicos”.
Após ler isso o nosso nobre colega adepto da bipolaridade sexual desatou sua amizade comigo nas redes sociais sob o pretexto de ter sua honra maculada com tais dizeres homofóbicos, porém creio perfeitamente que a narrativa remeta a realidade concreta do mesmo de forma plausível, crível e comensurável. E explico o por quê disto: É notório que o rapazola defende seus trejeitos e atitudes com base nas virtudes da razão humana, no entanto resta claro que ao querer entronar a liberdade como grande mote de suas condutas libidinosas corresponde a todas opiniões acerca dos moldes o qual atua e concretiza sua lascívia e libido como tiranas, profanas, homofóbicas etc e tal…

Ora bolas dos nossos sacos companheiro! Será que o fato de dar e comer a bunda alheia é passível de aceitabilidade por todos só porque tu fizestes deste tipo de luxúria vosso projeto de vida? Tornaste-te por acaso o exemplo de imitação tal qual fazem todos os devotos das políticas e ideologia de gênero e homossexualismo desvairado, bissexualidade carnavalesca as quais somatizam em nossa sociedade como mazela da reta racionalidade? Onde é que fica a liberdade e direito de ser daqueles que prezam pelo bons costumes da castidade e também dos hábitos da tradicional família brasileira, onde marido e mulher, possam viver o papai e mamãe semanal como ápice da sua vida matrimonial e sexual? Qual é o problema em discordar da atividade sexual alheia visto que tu mesmo discordas também da atividade sexual alheia como sendo careta e antiquada aos tempos modernos em determinados pontos? No fundo há uma grande certeza: Somos todos imorais em maior ou menor termos e condições então por que raios o estardalhaço?

Dizia o psicodélico Aldous Huxley: “A castidade é a mais anormal das perversões sexuais”. E tu acha ainda que ser casto é ser tão obsoleto assim? Convenhamos felizes são os castos muitas vezes, pois amam sem possuir, ou como diria Gabo: “O sexo é o consolo que a gente tem quando o amor não nos alcança”. E cito ainda Rousseau como mais um paradigma opinativo: “Sempre encontrei no sexo uma grande virtude consoladora, e nada adoça mais as minhas aflições vindas dos meus problemas do que sentir que uma pessoa amável se interessa por ele”. Está lendo e notando que não há consenso nessa temática e que nem por isso há preconceitos crivados no medo, no acinte e na protuberância nefasta ideológica?

Achamos nós pela nossa falsa prudência que ter o maior número de parceiros sexuais possíveis nos torna pessoas com maior galhardia de vida devido a uma vida de exuberante profusão sexual. Isso posso dizer que é uma mera ilusão e atestar isso cabalmente, pois depois de levar centenas de donzelas para cama e depois de tantos orgasmos até via sexo telefônico diante do poder excitante até mesmo da minha voz, tudo isso é muito mais euforia do que propriamente felicidade. Ora meu caro amigo, veja se não é verdade que todos possuem um “canto de sereia”, uma tentação demoníaca que diz: “seja feliz, procure a felicidade aqui nesta terra”. É buscando essa felicidade que o alcoólatra se embriaga, que o drogado se entorpece, que a prostituta se destrói, que o adúltero acaba com sua família e que o homossexual mendiga afeto de relação em relação. Dirás que isso é alguma espécie de inverdade?

Não tenhas medo meu bom rapaz, não seja casto-fóbico, pratique a castidade e experimente o outro lado da moeda. Seja um homem com autodomínio sobre sua natureza humana, e verás que será feliz assim também tanto quanto se refestelando de ânus ou xoxotinhas passageiras! E tenho dito!

Anúncios

Sobre Aloprado Alonso

O cara mais aloprado da internet - barbudo, blogueiro, rockeiro, mulherengo e sempre tentando parar de fumar ...

Publicado em 6 de fevereiro de 2015, em Comportamento e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: