PT vs Democracia

Lula e sua facção conseguiu sobreviver à crise do Mensalão e a CPMI dos Correios. Estabeleceu um condomínio no poder tendo a chave do cofre. Lula foi pródigo na distribuição de rendas e empréstimos às custas dos contribuintes.

Fez do Tesouro uma espécie de caixa 1 do PT e da Petrobrás o caixa 2  com uma taxa escusa de 3%. Tudo foi feito – tudo mesmo – para garantir a sua reeleição. Aparelhou o STF, instituições policiais, e todas instâncias burocráticas cercando-se capangas de colarinho branco. Parodiando os ministros da corte suprema mandou às favas sem qualquer escrúpulo qualquer decisão contra seu governo.

A petização do Estado se transformou no objetivo central do Partido dos Trabalhadores. Ter uma estrutura permanente de milhares de funcionários petistas tudo na cara dos opositores que ficaram parados.

Isso tem que acabar!

Segue um artigo que explica em linhas gerais os planos anti-democrático do “Partido dos Trabalhadores”:

AUXILIAR DE DIRCEU REVELA PARTE DA ESTRATÉGIA DO PT

Por Augusto Franco

Chamo a atenção das pessoas que pensam que eu e outros estamos vendo chifre em cabeça de égua ou pelo em ovo.

Leiam este artigo de Breno Altman, auxiliar de José Dirceu, também implicado nesta semana nos escândalos do petrolão e afins. O militante foi citado no depoimento da contadora do doleiro Alberto Youssef à CPI Mista da Petrobrás (ela confirmou ter ido três vezes à casa de Altman pegar dinheiro que era repassado por ordem do PT a Enivaldo Quadrado, condenado no processo do Mensalão).

O artigo de Breno Altman revela parte da estratégia do PT de conquista de hegemonia sobre a sociedade a partir do Estado aparelhado pelo partido. É explicável que em meados de setembro, ele não contasse com a reviravolta eleitoral. Mas o texto revela o que esse pessoal está pensando para um segundo mandato de Dilma.

Neste pequeno artigo solerte de Breno está tudo ou quase tudo:

=> Plebiscito para convocar Constituinte seguido de referendo

=> Financiamento estatal de campanhas eleitorais

=> Voto em listas partidárias fechadas

=> Direito do presidente de convocar plebiscitos impositivos

=> Controle dos meios de comunicação (eufemisticamente chamado de “democratização”)

Comparem as revelações do artigo de Altman com o esquema:

estratégia
E DEPOIS DAS ELEIÇÕES?

Breno Altman, especial para o 247, setembro de 2014
Acabadas as eleições, não virá da economia o terremoto que abalará o pais, mas da política. As delações de Paulo Roberto Costa irão afundar o Congresso Nacional na mais grave crise de sua história. As vísceras apodrecidas do sistema político-eleitoral estarão expostas como nunca.

Viveremos aqui algo parecido com a crise que despedaçou instituições italianas nos anos 90, durante o processo que ficou conhecido como “mani puliti” (mãos limpas). Os fundamentos da democracia representativa serão profundamente atingidos.
O conservadorismo fará de tudo para conduzir esse processo predominantemente pela via judicial, para tentar salvar o sistema político e dar uma mão de tinta na velha estrutura, com a condenação de um punhado de parlamentares.
O governo e o PT terão, contudo, uma rara janela de oportunidade para levar o pais a uma revolução política. Mesmo que um ou outro deputado petista esteja envolvido na maracutaia, será a hora da presidente Dilma, reeleita, enviar projeto ao Congresso Nacional estabelecendo imediatamente plebiscito para convocação de Assembléia Nacional Constituinte destinada à mudança do sistema político-eleitoral.

Nenhum dos legisladores existentes poderia se candidatar. A votação seria em listas partidárias ou coalizões em torno de propostas para a reforma. Reunida a Constituinte, teria quatro meses para finalizar seu trabalho. O texto final seria submetido novamente ao povo, para aprovação através de referendo.

As novas normas deveriam proibir financiamento empresarial às campanhas eleitorais, estabelecer o voto por listas partidárias fechadas, dar o direito ao presidente de convocar plebiscitos impositivos, estender essa mesma faculdade ao povo (através de abaixo-assinado com a adesão mínima de 10% dos eleitores), instituir o mecanismo de “recall” dos mandatos legislativos e executivos, democratizar os meios de comunicação.

Será um tremor de terra, mas também a grande chance de radicalização da democracia.

Anúncios

Sobre Aloprado Alonso

O cara mais aloprado da internet - barbudo, blogueiro, rockeiro, mulherengo e sempre tentando parar de fumar ...

Publicado em 11 de outubro de 2014, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: