O fundamentalismo cretino

A revolução dos cretinos fundamentais está aí. E chegou para cagar tudo de vez.

revolucaocretinos

Para quem não sabe, cretino fundamental é um conceito elaborado por Nelson Rodrigues, para descrever um tipo de pessoa que é muito fácil de reconhecer, embora seja difícil de descrever se não com qualificativos óbvios, sempre ditos em certo tom de desabafo.

Pessoalmente, acho a definição de Nelson perfeita: para ele, cretino fundamental é aquela pessoa capaz de deturpar o que é óbvio.

Fantástico, só um cretino fundamental teria a coragem de distorcer a obviedade com plena convicção. Só um bobalhão perfeito e acabado pode distorcer a verdade óbvia de que “Copa se faz com estádios, não com hospital“, para deturpar o fato de que a saúde pública no Brasil está em estado emergencial e é uma distorção de prioridades o gigantesco investimento público com um campeonato de futebol.

Só um idiota, e do tipo fundamental, pode deturpar a obviedade de que a homossexualidade não é uma doença, a ponto de proporem uma suposta cura gay. Só um abobado fundamentalmente incurável pode distorcer o absurdo que é a agressão a menores para afirmar que menino só vira homem se levar um couro do pai.

Mas Nelson Rodrigues não parou por aí. Na verdade, ele fez uma previsão apocalíptica. Em sua opinião, o maior evento de nossa época não seria a ida do homem à Lua e tampouco a descoberta da fissão nuclear. Para Nelson, “o maior acontecimento do século XX é a rebelião dos cretinos fundamentais”.

Segundo sua previsão, eles dominariam o mundo em breve, possivelmente oprimindo os “não-cretinos”.

Esse vaticínio é bem retratado pelo filme Idiocracy. É uma comédia americana, puro besteirol que, para minha surpresa, recebeu nota 7,9 no Rotten Tomatoes, o melhor site compilador de críticas cinematográficas.

Apesar de ter uma história meio abobada (mas hilária), a premissa do filme é ótima: um americano médio de nossa época, um pouco tapado mesmo para os padrões atuais, é congelado vivo e só acorda 500 anos depois. Ao despertar cinco séculos no futuro, ele tem duas enormes surpresas.

A primeira é que a televisão e a alimentação fast food provocaram, com o passar dos séculos, uma diminuição radical da inteligência humana, de modo que todos ao seu redor são imbecis, e do tipo fundamental. A segunda surpresa, decorrente da primeira, é que ele se tornou ser humano mais inteligente do planeta, para seu desespero.

E aí ele dá de cara com um mundo totalmente caótico, em que o meio ambiente foi praticamente destruído. Um mundo em que falar de um modo educado e utilizando um vocabulário com mais de cem palavras é considerado coisa de homem “afeminado”, objeto de chacota.

Como toda distopia, esse filme fantasia sobre o futuro para, na verdade, analisar a sociedade atual. No fundo, sua história fala da Revolução dos Cretinos Fundamentais que estamos testemunhando neste exato momento e que foi prevista por Nelson Rodrigues, que se autodefinia como “um anjo pornográfico”.

Nelson, com tom profético, previa que essa revolução não tardaria acontecer. E como ela ocorreria? Simples, os cretinos fundamentais dominariam o mundo pela simples vantagem numérica e, também, por sua incrível capacidade de auto-organização.

Como disse o anjo pornográfico em uma entrevista:

“Ponha um cretino fundamental em cima da mesa e você manda ele falar, ele dá um berro e imediatamente, milhares de outros cretinos se organizam, se arregimentam e se aglutinam.”

Qualquer semelhança com o que está ocorrendo hoje no Congresso Nacional não é mera coincidência. Auxiliados por um sistema eleitoral que privilegia a aglomeração dos votos de maiorias distribuídas em um grande território, os cretinos fundamentais se reúnem, elegem seus representantes e começam a predominar.

E se você, leitor, ao assistir o Idiocracy e acompanhar as desventuras do protagonista, identificar-se com ele ao ponto de pensar “pô, mas é exatamente assim que eu me sinto no dia-a-dia!”, isso não é um mero acaso.

Trata-se do que chamo de efeito cretinatório.

O efeito cretinatório, fenômeno aparentado com o efeito Dunning-Kruger, é frequentemente experienciado pelos não-cretinos fundamentais: você sabe que não é particularmente inteligente, mas, cada vez mais, tem a impressão de que é um cara muito, mas muito esperto, ao menos na sua experiência cotidiana.

Essa ilusão ocorre porque, graças aos meios de comunicação de massa e a um sistema educacional que adestra consumidores ao invés de formar cidadãos, o número de cretinos fundamentais cresce de forma exponencial, a ponto de a distância entre duas pessoas medianamente (e põe medianamente nisso!) inteligentes ampliar-se de modo significativo

Isolada em um mar de cretinice, a vítima do efeito cretinatório pode ter a impressão de que realmente é um prodígio de genialidade, quando não passa de um sujeito meio mané.

Não é difícil concluir que nós estamos diante de uma luta em dois fronts. De um lado, temos de lutar contra a tola vaidade de acreditar que somos realmente muito inteligentes, pois isso não passa de, digamos, um truque de ótica decorrente do efeito cretinatório. De outro, precisamos lutar para não sermos oprimidos pelos cretinos fundamentais e por sua revolução tão silenciosa quando catastrófica.

Claro, a saída mais fácil é, também, a mais covarde. Quem quiser que se deixe levar pelo fluxo e se misture com os cretinos. Será necessário algum esforço, mas creio que a maioria de nós logo conseguirá substituir suas próprias opiniões pelas manchetes e editoriais dos principais jornais do país.

Felizmente, ainda não precisamos apelar para a estratégia maria-vai-com-as-outras. Temos a nosso favor um grande recurso: a internet, caótica tal como ela é (ao menos até que algum cretino fundamental decida regulamentá-la) une as vítimas da revolução silenciosa dos cretinos fundamentais, que podem solidarizar-se mutuamente por suas mazelas através de blogs, sites, twitters, grupos de discussão, fóruns e sites.

É verdade que esses mesmos instrumentos são utilizados pelos cretinos fundamentais para enviarem por email arquivos power points com mensagens de auto-ajuda, ou para publicarem no Facebook correntes do tipo cada compartilhamento curará o Zé das Couves de seu bicho-de-pé.

Porém, não fosse a internet, nós, indivíduos não muito espertos mas distantes da cretinice fundamental, teríamos de estabelecer comunicação por meio de sinais de fumaça, sob pena de enlouquecermos esmagados pela mediocridade operante ou por nossas presunções arrogantes.

Mas, claro, nada é tão simples assim. Talvez exista um pequeno cretino fundamental dentro de todos nós, e todos os dias escolhemos se vamos alimentá-lo, fortalecê-lo ou, antes, se vamos manter vigilância para que ele se enfraqueça e suma de nossas cabeças.

nelsonrodrigues

Portanto, o front dessa guerra talvez passe exatamente no meio de nossos corações, e a primeira batalha contra a imbecilização geral da humanidade comece por revisar todas as nossas atitudes cotidianas. O primeiro golpe contra o inimigo é perguntar-se, em um exercício de humildade, em quais de nossas ações diárias podemos estar agindo como espiões duplos dessa guerra e, nos comportando como cretinos fundamentais amadores, dando artilharia para o inimigo.

 

Fonte: Foda-se a Fonte!

Anúncios

Sobre Aloprado Alonso

O cara mais aloprado da internet - barbudo, blogueiro, rockeiro, mulherengo e sempre tentando parar de fumar ...

Publicado em 30 de maio de 2014, em Clube dos Canalhas, Uncategorized e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: