Que país é esse?

Atenção cambada alienada que assiste a TV Globo e que nunca leu meia linha dum livro na vida, mas acha que se informa lendo Veja e Folha de São Paulo ou mal sabe o que é Constituinte!

O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO está em risco!

Mentira tá nada…foi só um acesso de lucidez repentina depois de tantas manifestações  que fui e vi tanta gente desmiolada nas ruas sem saber o que pedir, exigir e apoiar… Assim me pergunto: Que país é esse?

Vamos analisar os fatos meus caros leitores:

O Jornal Nacional gastou mais tempo com umas manifestações de araque do que com as decisões da Dilma. O JN como sempre continua a jogar a cabeça vazia do povo no caos. O JN também sentiu no peito o plebiscito para convocar uma constituinte. Estrebuchou, com a rotineira ajuda de “juristas” de plantão e tentou nos enganar a todo custo!

As ditaduras bolivarianas se valeram de referendos, plebiscitos e constituintes para solapar as instituições. Recomendo que leiam – quem ainda não o fez – o texto de Osvaldo Hurtado, fiel retrato do que aconteceu nos países vizinhos sob as botas bolivarianas.
Repito: é a última tentativa do lulopetismo de realizar o que não conseguiu em 10 anos de ataques às instituições. A ideia, lançada por Lula há meses, já foi abraçada abertamente por acadêmicos vagabundos e,  um tanto envergonhadamente, pela vermelha CNBB da Teologia da Libertação e pela OAB Federal que marginaliza bacharéis em direito, que abandonou a defesa do Estado de Direito faz muito tempo.

PEC 37, PEC 33, é tudo fichinha perto disso…
Olho vivo, brasileiros! O lulopetismo quer se eternizar no poder. Métodos não lhe faltam.

No site da famigerada Veja eis a confirmação dos meus temores:

“A presidente Dilma Rousseff anunciou na abertura do encontro com os governadores e prefeitos, no Palácio do Planalto, que pedirá um plebiscito seguido de uma Constituinte, para a realização de uma reforma política no país. Dilma pediu aos governantes um pacto com cinco pontos, que serão debatidos durante a reunião da tarde desta segunda-feira”.
Vai contar história pra boi dormir! Todo mundo sabe que é o Congresso Nacional quem tem competência para convocar plebiscitos e referendo nacionais e não o Poder Executivo caralho!
Desta vez, mais chorei do que ri. Não que eu duvide da seriedade dos propósitos do PT, mas acabei de ter a certeza de sua (não intencional) vocação cômica, mas sim da sua sanha por poder poder poder (com eco). Espero não estar enganado, mas, se o Congresso aceitar isso, ele dará em si mesmo um golpe. Será o primeiro caso na história de “recesso auto proclamado” do Poder Legislativo. O Brasil não cansa de ser uma democracia que existe só no papel da Constituição Federal com belas palavras para direitos que inexistem na prática cotidiana devido a presença de malandros no controle das instituições que deveriam ser séria e honestas, mas não passam dum point de encontro de oportunistas e latrocidas da República e Democracia. Se revire quer onde esteja Dr Ulysses Guimarães!
Esqueçam de tudo o que vocês leram nos livros de direito, ciência política e sociologia sobre divisão de poderes e check and balances: O Brasil é outro planeta. Até na Venezuela as coisas são historicamente mais lógicas. No Brasil o golpe pega a mídia vendida de calça curta e deixa o povão feito besta olhando a paisagem das manifestações cheias de petralhas e comuninhas camaradas do Movimento Passe Livre e outros movimentos e partidos dando as cartas de muitos pseudo-protestos!
ACORDA BRASIL! Estamos rumo ao fim do Estado Democrático de Direito seus filhotes do coronelismo! Saiam do cabresto duma vez e invadam todos os palácios de governos e tirem na base do ponta pé quem estiver por lá!
Além do mais, num parlamento federal cheio de crias de Sarney como Calheiros, Collor, e outros petralhas e tucanalhas e pmdebistas da mesma laia – acham mesmo que vai passar algo que beneficie o povo que está dando seu recado mais consciente nas ruas? Nananinanãooooo porra!!!
Porque da noite pro dia 100% dos royalties seriam para a educação falida? Porque depois de duas semanas de manifestos a presidenta diz que corrupção deveria ser crime hediondo? Porque ó raios, convoca às pressas a cambada toda de governadores dizendo que precisam dum pacto para atender o povo nas ruas? Sabem porque? Porque o plano A falhou, agora vem o plano B.
“Nunca antes na história desse país” uma pauta legislativa e política dessas seria objeto de apreciação se não fosse o que está acontecendo nas ruas? Ledo engano. Porque não fizeram isso antes se já sabiam desde sempre que a educação tá decaída mais que peito de trintona que não malha, que corrupção é odiosa mais que puta que se diz virgem, e que tributos elevados e arrecadação fiscal sempre precisaram de responsabilidade tanto quanto um quarentão que não saiu da adolescência?
ACORDEM! ACORDEM! ACORDEMMMMMMMM!
O país precisa mudar de baixo pra cima e não de cima para baixo! Defendam seus direitos antes que eles se tornem ainda mais contos de fadas ou algo ainda mais chinfrim que bolsa Prada da 25 de Março!
que pais é esse
Aprendam uma coisa básica:

Tudo que começa com Liberté, Egalité, Fraternité termina em guilhotina! 

O que uns e outros não percebem é que a tal ‘massa na rua’ é o ápice da despersonalização, da falta de qualquer traço distintivo e, ipso facto, de vida inteligente. Vida inteligente não é aderir a qualquer coisa como se estivesse numa rodinha de maconheiros. Aderir a causa é precisamente o contrário disso.
É PRECISO MUITA violência para se fazer protesto pacífico, decerto. Nada mais violento do que o pacifismo das multidões que ficam caladas por anos até ficarem putas da vida de vez por causa de vonte centavos que são seiscentos milhões por ano. Chegamos em casa, ligamos a  TV e estão protestando contra rigorosamente tudo depois e o estopim foi a porra da tarifa de busão? Na verdade estão protestando contra rigorosamente nada.

Dos vinte centavos já ninguém se lembra (que saudades dos vinte centavos!). Parecia tudo tão nobre e tão singelo. Agora o negócio virou maio de 68 e todo mundo quer é tocar fogo no circo. Ou, mais precisamente, nos carros, nos caixas eletrônicos, no comércio, nas bandeiras, na inteligência, na dignidade, em qualquer coisa que esteja no caminho do entusiasmo cívico.

id das gentes resolveu sair às ruas. E a multidão é aquilo que se sabe: movimento bruto, força da natureza.

Todos tão emocionados! Encontraram um arremedo de sentido, ao menos provisório, no movimento. Afinal de contas: sair às ruas faz bem. Toma-se uma r fresco, se esticam as pernas sedentárias depois duma vida de manifestante de facebook reclamão. Perde-se uns quilos com marchas pelas avenidas e correrias do Choque. Quase fui às lágrimas quando um amigo escreveu algo sobre o ‘espírito’ do povo.

De repente, todos estão orgulhosíssimos de si mesmos: saíram às ruas ‘contra tudo isso que está aí’, contra esse ‘status quo’, contra a ‘corrupção’, contra a ‘fome na África’, contra as ‘flexões do infinitivo’ e as platitudes de costume.

Saíram para se manifestar, ponto. Eles se parabenizam, eles jogam confetes uns nos outros, eles assopram língua-de-sogra. Você, quieto no seu canto, sabe (você os conhece) que eles nunca pensaram a sério em rigorosamente nenhuma das coisas contra as quais (ou a favor das quais), de súbito, resolveram protestar – estado, impostos, capital, economia, regulação, reservas de mercado, etc.

Bobagens e reacionarismos a parte o lema nas ruas era sempre  soviet red: “Nós devemos atear fogo na cara da burguesia”.

Porque não é preciso cautela, prudência, capitulações: bastam uns coquetéis na cabeça e outros na mão; bastam umas camisetas amarradas na cara ou vermelhas naqueles sujeitinhos com barbas compridas e boinas; e  voilà! – o recém chegado do mundo da falta de idéias agora é um Che Tupiniquim, um Trotsky da Periferia, um megahiperultra revolucionária das ruas!

 

Alguns chegam ao ponto de serem um Hegel improvisado a encarnar o ‘espírito objetivo’ ou um Montesquieu quiçá Tocqueville com espinhas e sustentados pelos papais classe média. Se fosse tão fácil, se fosse apenas sair andando por aí a tocar o bumbo, apitar e berrar pelavras de ordem, teríamos feito há mais tempo, não é mesmo? Tudo que começa com Liberté, Egalité, Fraternité termina em guilhotina. Lembrem-se disso!

E é divertido ver gente dizendo, agora que a baderna saiu mesmo do armário ideológico, que “Não importa se o movimento x é manipulado pelo grupo y”, pois o povo está nas ruas, “o gigante acordou” e eu quero lutar por um Brasil do futebol e carnaval, boteco e prais melhor! De fato, muita gente que está nas ruas nunca se importou e outros que estão lá estão na ondinha, no oba oba do “vem pra rua”. Não é minha intenção desqualificar todas manifestações. Não! Jamais! Nem mesmo sequer os vinte centavos. E por falar nisso…

Falando nos vinte centavos, ocorre o previsto: Fernando Haddad dizia, solene, que ceder à “pressão popular” seria tido como “populismo indesculpável”. Mas, Fernando Haddad e Geraldo Alckmin anunciam também solenes, que atender aos apelos populares, e os vinte centavos era justo da noite para o dia.

Eis o gatilho do patriotismo de ocasião, não serão mais cobrados vinte centavos ou seiscentos milhões. Eis a vitória cívica, satisfação, lágrimas.

Ótimo para a democracia, não é mesmo?

Nada disso! Isso é péssimo para a democracia caralho! Há certas vitórias que são derrotas. Se algo funciona no sistema democrático representativo é justamente servir de anteparo ao populismo violento, às pressões das maiorias sobre as minorias, das massas sobre os indivíduos.

Representantes são eleitos e se encarregam das leis, da fiscalização, da justiça. Devem ser cobrados, avaliados e, se ruins, que não sejam reeleitos. Não apenas a divisão de poderes, mas o fato mesmo de que as decisões são tomadas, em tese, depois de conscienciosas deliberações garante alguma segurança jurídica e o império das leis reina com certa legitimidade dentro do Estado.

Eis o x da questão que levanta lebre: Quando grupos com os mais variados pretextos exigem coisas e as coisas exigidas são quase que imediatamente atendidas, conclui-se que: o grupo manifestante sabe que para negociar não é preciso mais do que alguns coquetéis molotov na mão.

Se a democracia representativa não satisfaz, agora as condições de possibilidade para a democracia direta estão dadas. Manifestações sob as mais variadas bandeiras  – muito embora a quase que absoluta identidade de cores seja com o vermelho – tendem a tomar conta do cenário e isso nunca terminou bem.

Se não são mais as leis, será a força. Anomia. E a praça pública dará lugar à praça de guerra.  Contemos com a pusilanimidade dos nossos revolucionários.

O que uns e outros não percebem é que a tal “massa na rua” é o ápice da despersonalização politica que impera há décadas no Brasil da falta de qualquer traço distintivo e, ipso facto, de consciência política e pratica de ações democráticas.

Ter consciência política  não é aderir a qualquer reivindicação dada pelo calor do fatos e momentos. É precisamente o contrário disso. Jean Jacques Rousseau, que não era nada tolo, dizia que a multidão anseia, desesperada, por um cadáver que legitime a explosão iminente de violência. Isto é, a volonté générale procura, desesperadamente, seu Robespierre.

Continuem nas ruas sim, até as próximas eleições de preferência, mas usem o voto como arma contra a manipulação de fatos e atos como remédio para a quase irremediável manutenção de pessoas calhordas no poder!
Meus caros leitores, aguardemos cenas dos próximos capítulos! Isso se, esse blog não for censurado ou expatriado dos provedores nacionais!
Que país é esse né? Esse é país que ou você suporta tudo ou adere a tudo buscando mudar tudo. Tanto faz, a coisa muda sempre pra pior na maioria das vezes. Se dessa vez for exceção, em verdade vos digo: Eu peido o hino nacional inteiro em praça pública de alegria!
PS. Manifestações nas ruas é muito bom para pegar mulher. Eu mesmo já fiquei com uma advogada que reivindicava direitos difusos e coletivos das mulheres, uma farmacêutica que quer porque que quer baixar os preços dos medicamentos visando a socialização da farmácia de manipulação, e uma nutricionista, uma espécie de Zilda Arns contra aborto e que quer engordar criancinhas magras dando mamazinho para elas e emagrecer as obesas com base em produtos orgânicos com menos impostos, todas elas pelo bem estar geral da nação!
Depois disso calar-me-ei até a próxima boçais energúmenos!
Anúncios

Sobre Aloprado Alonso

O cara mais aloprado da internet - barbudo, blogueiro, rockeiro, mulherengo e sempre tentando parar de fumar ...

Publicado em 25 de junho de 2013, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: