Coxinha manézão inimigo da Revolução!

Vejam bem a atitude desse zé roela desgraçado!

imebcil

Sujeitinho ignaro bestial e manolo! Merece levar uma surra de galinha morta, spray de pimenta no rabo e um coice de mula na cara!

Esse coxinha da coca-cola só pode ser um ex-cocainômano que tem que beber essa bebida burguesa corporativista que quente desentope vaso sanitário de bordel de beira de estrada!

Sai da rua? Sai na rua isso seu mané! SEJA MACHO seu marica do interior!

Sabe seu verme? Eu não vou dizer que é para você ter consciência social e política até porque essa tua raça é anencéfala de carteirinha seu va-ga-bun-do sustentado pela vó!

Eu vou explicar aos leitores o que é um coxinha…

Os coxinhas gostam de limitações, definições, certezas. Se tem um tipo de gente que não troca o certo pelo incerto, são os coxinhas.

Um representante nato da categoria dos coxinhas é aquele jovem de barba rala na cara que quer mais é constituir família, sustentar a mulher fresca que manda nele e ter  filhos frescos e sem noção, e exigir que todos tenham boas notas no colégio e que vão pra Disney todo ano e que rezem pro anjinho da guarda antes de dormir.

O coxinha adora o ouvir música de padre cantor e acha incrível a filantropia do Bono Vox. Na literatura, ele sempre recomenda para a roda de colegas no almoço da firma todos os livros do ranking da Veja. E, se falar de cinema, o coxinha divagará sobre grandes trilogias (as quais comprou em boxes, na net com cartão de crédito da vó). Todos seus gostos e interesses são baseados em unanimidades. Porque, se não dá para agradar a todos, o coxinha tenta agradar pelo menos à maioria.

Aquela camisa  de gola rolê e óculos sempre limpinhos e impecáveis, mas mesmo assim não enxergam quando se expõem ao ridículo como esse sujeito mequetrefe da foto. Continuam se achando o máximo da decência e moral, mas se levam um fio terra despirocam na hora e trocam a esposa pelo joão peludo da vizinhança.

O símbolo máximo do gênero coxinha camuflado é outra forma de passar desapercebido pela sociedade. Eles não são  nem casuais demais para uma festa, nem formais demais para um passeio no parque com a vovó ou namoradinha feia e sem tipo.

Nessas horas o coxinha deita e rola. Suéter enrolado no pescoço também é um bom complemento para as meias estações do coxa, mas não é obrigatório. Ah, e o coxinha chama tênis de sneaker para fazer de conta que um é diferente dos outros.

Ao contrário do que se pensa, a condição coxinha não tem necessariamente a ver com dinheiro. Existem coxinhas que ganham 100 mil reais por mês e coxinhas que sustentam a família feliz com quatro salários mínimos.

Metódicos, os coxas vão nos abres tomar coca-cola porque cerveja para eles seria suicídio. E seus olhos chegam a ficar marejados quando passam com seu s olhinhos por uma roupinha frozô na vitrine de lojas de shoppings.

E engana-se quem acha que a tribo dos coxinhas se limita aos manifestos isolados como esse sacripanta da foto. Eles podem estar em toda parte: nas artes, nos esportes, na medicina e, muito frequente a partir dos anos 2000, na publicidade.

Quando você vir o comercial de um banco com pessoas sorridentes e narrador com timbre épico, pode ter certeza: tinha um coxinha na reunião de brainstorming que, depois de contar sua “ideia genial”, foi aplaudido por mais meia dúzia de coxinhas que acham que propaganda de OMO, bancos e margarina é a vida real do dia a dia.

Pra terminar, digo que um coxinha jamais faria mal pra você enquanto indivíduo. O problema é o impacto social dos coxinhas que, sem declararem nada, acordam todos os dias e vestem suas camisas azuis-bebê na busca pela extinção da ousadia e por uma sociedade oleosa e simétrica.

Nessa época de manifestos os coxinhas estão em suas casas trancafiados acreditando piamente na Globo e batendo palmas para o Marcelo Rezende e Datena. Estão contra os vândalos, contra os barbudinhos da PUC, contra o move dos amaconhados e GLSs que estão nas ruas no meio da galera do mal que quebra tudo por míseros vinte cents.

 

Que saber esse coxinha da foto merece ter sua casa invadida pela ala radical do PSTU e levar um motolov na bundinha branca pra ver se aprende alguma coisa nessa vidinha fútil digna de Big John.

Fora do Brasil Coxinhas!

Não venham para nossas ruas mesmo você não são seres humanos e por isso não tem direitos sociais, são bestas de outro mundo alienígena mezzo homo mezzo hetero e totalmente no sense.

 

E tenho dito!

 

Anúncios

Sobre Aloprado Alonso

O cara mais aloprado da internet - barbudo, blogueiro, rockeiro, mulherengo e sempre tentando parar de fumar ...

Publicado em 21 de junho de 2013, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: